Surpreenda-se

surprise

É possível que você passe todos os dias pelo mesmo caminho, que você converse sempre com as mesmas pessoas, faça as mesmas coisas, coma as mesmas comidas. É possível que você viva um dia exatamente como o outro, uma hora passando como a anterior, os momentos simplesmente acontecendo uns após os outros. É possível que sua vida seja uma rotina sem fim, um amontoado de coisas semelhantes se sucedendo, de atitudes praticamente idênticas sendo tomadas. Sim, é possível.

Assim como também é possível que em meio ao caminho de sempre você veja algo diferente, que em meio à conversa de sempre você ouça algo pouco familiar e que, ao comer a comida de sempre, você se surpreenda com um novo sabor. Também é possível que aquele dia que tinha tudo pra ser igual ao anterior simplesmente apresente uma cor diferente, aquela hora exale um perfume especial e os momentos sejam surpreendentes. Também é possível que naquela rotina sem fim algo chame sua atenção, trazendo coisas diferentes e impulsionando atitudes que surpreendam. Sim, também é possível.

E o que faz uma possibilidade diferente da outra? Seus olhos, seus ouvidos, seu coração. Se você tiver olhos que vêem, ouvidos que ouvem e um coração que sente, as coisas de sempre viram coisas surpreendentes.

O problema é que a gente tem olhos que não vêem, ouvidos que não ouvem e um coração que não sente. Sim, eles cumprem seu papel funcional, metabólico. Eles estão ali, piscando, retendo ondas sonoras, batendo. Mas apenas isso. Nós os fechamos para as possibilidades e reclamamos de viver sempre mais do mesmo.

Acredite: a vida pode ser surpreendente. Na verdade, ela é. Basta que você preste bastante atenção em uma criança perto de você. Ela enxerga o mundo com olhos de curiosidade, ouve os sons com ouvidos de surpresa, sente a vida com aquele desejo de quero mais. Não à toa, é preciso ser como criança.

Abra os olhos para as cores, para a beleza, para  a simplicidade. Abra os ouvidos para a melodia, para os sorrisos, para os cochichos. Abra o coração para aquele que está perto de você e o convide a fazer o mesmo. Abra-se para a vida e surpreenda-se.

Little drops from USA

New life

Desde jah, vou pedindo desculpas pela falta de acentos e afins. O teclado eh “miricano” e nao gosta muito dessas coisas.

***

Vou fazer um post com calma falando sobre a viagem, a chegada e tudo que tenho vivido ateh aqui. Por hora, posso dizer que cheguei bem (apesar de nao ter descansado nada no voo) e que as coisas tem caminho ateh aqui.

***

Me mudo para a universidade oficialmente hoje. Tambem quero falar mais sobre isso, fazendo um post com fotos e tudo mais.

***

O que posso dizer por hora eh que tenho conseguido regular a alimentacao sem neuras e estresses (fazendo as melhores escolhas diante das possibilidades), o que tem mantido o peso dentro da margem que estava no Brasil.

***

A unica atividade fisica que fiz ateh agora foi uma trilha no dia do meu aniversario. E foi muito bom.

***

Creio que semana que vem, depois de instalada e das aulas comecadas, conseguirei ter uma rotina estabelecida de atividade fisica.

***

Jah tenho um numero de celular e um computador. Thanks God.

***

E amanha tenho tambem uma entrevista de emprego dentro do Campus. Oremos.

***

Saudade eh uma coisa estranha. Ela se instala quando quer e vai tomando todos os espacos. Em outras palavras, eh bem espacosa a danada!

Mudar é preciso!

 

Eu sei onde os calos apertam e os sapatos esfolam a pele. Eu sei onde o coração sangra e os sentimentos doem. Eu sei onde a verdade machuca e as palavras escancaram a ferida.

Eu sei onde a mente trapaceia, engana o corpo e se faz de vitoriosa. Eu sei onde os pensamentos brigam entre si, disputando guerras homéricas dentro de mim. Eu sei onde eu me divido em duas, três e quatro, cada uma puxando a corda pro seu lado.

Eu sei onde tudo isso me leva e aonde eu não mais quero ir. Eu sei o turbilhão que isso tudo em mim provoca e não quero nele mais cair. Eu sei o que tudo isso me causa e, garanto, a esse filme repetido eu não quero mais assistir.

Diante de tudo isso, uma só coisa me resta ainda saber: mudar é preciso. E é atrás disso que eu preciso correr!

***

Não adianta. É só o cansaço bater que o coração aperta, a mente endoidece e a dieta fica por um fio (quando ela simplesmente não vai pro brejo). A vida toda vai ficando bagunçada e eu me transformo em Dona Barata Tonta, andando em círculos.

Em meio a tudo isso, tenho tentado seriamente me desapegar de Dona Metas e Senhora Objetivos, mas o esforço que ando fazendo nesse sentido tem contribuído pra que eu me canse ainda mais. Só que não vou desistir. Tenho visto, mesmo que minimamente, os resultados do desapego. E eles têm me feito bem. Apesar do cansaço provocado por todo esse processo, ando mais leve e menos tensa.

Ou seja, creio que estou no caminho certo, buscando desfrutar de uma vida saudável e sem tantas pressões internas. Só que, como toda mudança que se preze, essa também tem provocado alguns desajustes que, espero eu, sejam contornados logo adiante.

O que preciso é encontrar um jeito de descansar em meio à correria e à rotina intensa que normalmente tenho. Talvez, o que meu dia a dia esteja precisando, é de momentos de descanso e de lazer. Não sei ao certo. Mas de uma coisa eu sei: preciso mudar e isso não vai mudar!

De volta ao essencial

Tenho refletido muito sobre aquilo que acho essencial. Algumas dessas reflexões você acompanha por aqui, como a questão de ser menos consumista e não comprar nenhuma bolsa esse ano, a importância de incentivar as pessoas a usarem o seu potencial, a necessidade de reclamar menos e agir mais.

Agora pare e pense um pouquinho você também: pra você, o que é realmente essencial? Responder a essa pergunta pode ser bem simples. Mas, depois de respondida, olhe para a sua vida e veja se ela tem refletido aquilo que é essencial pra você. Na maior parte das vezes, se formos bastante honestos conosco mesmos, perceberemos que somos seres bem incoerentes.

Se você perguntar a um pai ou mesmo a uma mãe o que é essencial para ele/ela, entre algumas possibilidades, você ouvirá que passar tempo com os filhos reflete essa ideia. Agora pergunte quanto tempo do dia ele/ela gasta com as crianças e não se surpreenda se a resposta for muito pouco tempo!

Continue com o perguntador aberto e questione seus colegas de trabalho sobre o que é essencial pra eles. Alguns muito provavelmente dirão que ter uma vida saudável é algo essencial. Agora pergunte o que eles fazem para que isso se torne uma realidade. Ou melhor, pergunte se vão a academia com frequência, se tem uma rotina de sono estabelecida, se não exageram nas horas de trabalho. Muito provavelmente, você já sabe a resposta: poucos dirão que efetivamente tem buscado aquilo que disseram ser essencial.

Será que o que dizemos ser essencial realmente o é? E se for, por que será que não colocamos isso na nossa pauta do dia? Rotina, disciplina. Duas palavrinhas que você sempre vai encontrar nos meus textos. Duas palavrinhas que eu abominei durante muitos anos da minha vida mas que descobri serem chaves para que as coisas realmente aconteçam em nós e através de nós.

Pegue um papel e escreva aquilo que realmente é essencial pra você. Lembrando que, de acordo com o Dicionário Houaiss, essencial é, entre outras coisas, aquilo que nos é indispensável. Pense naquelas coisas, naqueles conceitos, naquelas ideias, naqueles valores sem os quais você não pode viver. Depois, num outro papel, tente colocar o seu dia. Ou melhor, tudo aquilo que você faz no dia. Agora coloque as duas listas lado a lado. A primeira lista está inclusa na segunda? Ou melhor, a segunda reflete aquilo que você escreveu na primeira?

Muita gente (eu inclusa) vai colocar na primeira lista que o seu relacionamento com Deus é algo essencial. Agora, olhando pra segunda lista, também vai perceber que tem feito muito pouco pra refletir isso. E como mudar essa situação? Com rotina e disciplina! Tire um tempo para você e Deus. Pegue a bíblia guardada na gaveta e dê uma bela lida. Depois, nada melhor do que um bate papo com o Criador. E não se surpreenda se aquilo que estava programado para durar alguns minutos durar horas. Não existe nada melhor do que conversar com a pessoa que mais conhece você!

Quando sabemos claramente aquilo que nos é essencial, conseguimos programar nossas atividades em torno disso. Simplificando o nosso dia a dia e aumentando nosso senso de realização. Afinal, vamos realizando aquilo para o qual fomos criados.

E aí, simbora voltar pro essencial?