Surpreenda-se

surprise

É possível que você passe todos os dias pelo mesmo caminho, que você converse sempre com as mesmas pessoas, faça as mesmas coisas, coma as mesmas comidas. É possível que você viva um dia exatamente como o outro, uma hora passando como a anterior, os momentos simplesmente acontecendo uns após os outros. É possível que sua vida seja uma rotina sem fim, um amontoado de coisas semelhantes se sucedendo, de atitudes praticamente idênticas sendo tomadas. Sim, é possível.

Assim como também é possível que em meio ao caminho de sempre você veja algo diferente, que em meio à conversa de sempre você ouça algo pouco familiar e que, ao comer a comida de sempre, você se surpreenda com um novo sabor. Também é possível que aquele dia que tinha tudo pra ser igual ao anterior simplesmente apresente uma cor diferente, aquela hora exale um perfume especial e os momentos sejam surpreendentes. Também é possível que naquela rotina sem fim algo chame sua atenção, trazendo coisas diferentes e impulsionando atitudes que surpreendam. Sim, também é possível.

E o que faz uma possibilidade diferente da outra? Seus olhos, seus ouvidos, seu coração. Se você tiver olhos que vêem, ouvidos que ouvem e um coração que sente, as coisas de sempre viram coisas surpreendentes.

O problema é que a gente tem olhos que não vêem, ouvidos que não ouvem e um coração que não sente. Sim, eles cumprem seu papel funcional, metabólico. Eles estão ali, piscando, retendo ondas sonoras, batendo. Mas apenas isso. Nós os fechamos para as possibilidades e reclamamos de viver sempre mais do mesmo.

Acredite: a vida pode ser surpreendente. Na verdade, ela é. Basta que você preste bastante atenção em uma criança perto de você. Ela enxerga o mundo com olhos de curiosidade, ouve os sons com ouvidos de surpresa, sente a vida com aquele desejo de quero mais. Não à toa, é preciso ser como criança.

Abra os olhos para as cores, para a beleza, para  a simplicidade. Abra os ouvidos para a melodia, para os sorrisos, para os cochichos. Abra o coração para aquele que está perto de você e o convide a fazer o mesmo. Abra-se para a vida e surpreenda-se.

Anúncios

Quem procura, acha!

beauty

Quando a gente muda de cidade, de estado, de país, de emprego, de carro, enfim, quando a gente muda alguma coisa na vida da gente, as comparações entre o que passou e o que se está vivendo são inevitáveis.

A coisa mais normal do mundo é a gente se pegar no presente olhando pro passado. Ficamos pensando naquilo que ficou pra trás, naquilo que não temos mais. E, com isso, aquilo que se tem agora, aquilo com o que realmente se pode contar, fica desbotado, sem graça.

Mas olha que isso nem é o pior. O pior é quando começamos a exaltar demais o que passou, diminuindo o que vivemos agora. É a gente enxergar apenas virtude no que deixou pra trás e coisas ruins no que se está vivendo. A gente acaba, sem perceber, treinando os nossos olhos pra procurar o lado ruim do hoje. E quem procura, inevitavelmente, acha.

Se você apenas treinar os seus olhos pra ver os colegas mal-humorados do seu novo emprego, acredite, é isso o que você vai encontrar. Se você apenas focar nas coisas aparentemente ruins do novo país em que você está morando, acredite, é isso que você vai encontrar. Se você apenas se preocupar com o quão chato é ter que deixar de comer certas coisas por conta da nova reeducação alimentar que resolveu seguir, acredite, você só vai ver isso.

Mas o contrário também acontece: se você simplesmente parar de procurar o que o incomoda e começar a procurar o que te agrada, é isso o que você vai encontrar. Precisamos treinar os nossos olhos pra que eles enxerguem a beleza, os novos ouvidos pra que ouçam a doce melodia e o nosso paladar pra que sinta o gosto doce das descobertas. Porque quando a gente faz isso, é exatamente isso o que a gente encontra.

Nesses últimos dias, essa tem sido a minha oração silenciosa: que eu esteja aberta para ver a beleza, que eu esteja pronta pra sentir a delicadeza, que os meus olhos procurem um tesouro dentro de cada pessoa. Porque eu sei que se isso for uma constante em minha vida, é isso o que irei encontrar!

Como andam seus olhos?

olhos

“A gente não vê o mundo como ele é. A gente vê o mundo como a gente é”, tentava explicar um determinado personagem a outro. O desenrolar da cena eu não me lembro bem, só sei que fiquei pensando nessa frase e no tanto que ela é verdadeira e real fora da telinha da TV.

Fiquei tentando recordar, também, onde eu havia lido algo parecido. Até que me lembrei dos seguintes versículos:

“Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz.

Mas se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas. Portanto, se a luz que está dentro de você são trevas, que tremendas trevas são! ” (Mt 6.22 e 23)

E desse aqui também:

“Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro. De fato, tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas”. (Tt 1.15)

Ou seja, o mundo é da maneira como nós o vemos. Claro, estamos em mundo cada vez mais maluco, onde um vizinho mata outro por conta de barulho, onde milhares de pessoas morrem de fome todo ano, onde Guantánamo ainda existe. Sim, esse é o nosso mundo. Mas mesmo a realidade sendo tão cruel, dependendo da maneira como a enxergamos, ela ainda assim pode ter sua dose, sua pitada de beleza.

Pra comprovar isso, basta prestar atenção no dia em que você acorda chateado ou mesmo mal-humorado. De repente, as flores do caminho pro trabalho ficam cinza, as pessoas se tornam desagradáveis e tudo é péssimo. Mas no dia em que você acorda bem, feliz, até o carro quebrado é uma oportunidade de sorrir e agradecer pelo mecânico amigo.

Agora imagine só se todos os dias seus olhos estiverem treinados para ver a beleza, para se ater aos detalhes, se eles estiverem focados para a luz e não para as trevas? Isso é possível? Sim, é. E o mais incrível é saber que quanto mais beleza, quanto mais luz a gente vê do lado de fora, mais a gente consegue colocar do lado de dentro.

Se você é como eu, talvez, todos os dias ou até mesmo várias vezes por dia, você precise fazer um exame minucioso de vista. Precise ajustar o foco e tirá-lo daquilo que é supérfluo ou mesmo daquilo que não faz bem pra você. Sempre que necessário, faça isso. Afinal, sua visão será determinante para o mundo em que você vive.

E se seus olhos estiverem cansados, se suas vistas estiverem embaçadas, procure inundá-las de beleza, de poesia, de magia. Procure inundá-las de esperança. E veja a grande diferença que isso vai fazer bem dentro de você!