Experimentando e gostando

1780894_10202158949827770_345357477_n

Já faz algum tempo que percebo que minha dieta anda BEM monótona. Claro que as restrições ajudam (especialmente aquelas autoimpostas, como o não comer glúten), mas o que mais andava pegando era mesmo a preguiça. Cozinha nunca foi lá uma das minhas grandes paixões, então fui levando até perceber que minha dieta andava MUITO chata e acabava servindo de “desculpa” praquelas escapadelas homéricas.

E o que foi que eu fiz? Resolvi inovar. Sigo uma amiga de São Paulo que faz a dieta Dukan (oi, Carine!) e percebi que muitas das receitas deliciosas que ela faz, com as devidas substituições, poderiam ser incorporadas facilmente ao meu dia a dia.

1661487_10202161482411083_1611883014_nPra não desanimar ou não desistir, resolvi começar devagar e ir incrementando aos poucos as refeições. Então, nesse momento, estou na fase de inovações pro café das manhã e pros lanches. Já fiz panqueca falsa (no liquidificador bata um ovo e uma banana e pronto!, só colocar na frigideira), pão de micro-ondas e muffins de canela. Tudo muito rápido, simples e delicioso. Me empolguei! Sem contar que comer pão, depois de um bom tempo afastada dessa iguaria, chega a ser emocionante!

Pra quem se animou ou simplesmente teve curiosidade, indico dois sites: Receita Dukan, que como o nome já indica apresenta as receitas permitidas pra quem segue a dieta, e o Blog da Mimis, superfamoso e com receitas que, mesmo contendo glúten, podem ser facilmente adaptadas.

1947329_10202166253530358_529800562_nAdaptação tem sido a palavra chave. Como por enquanto só tenho a farinha de arroz (pretendo comprar farinha de coco em breve), toda sugestão de farelo de aveia ou mesmo de soja eu substituo por ela. E tem dado supercerto. Além de substituir o iogurte natural por cream cheese light, já que esse tipo de iogurte eu não encontro aqui. Enfim, o segredo tem sido inovar e tentar. E tem dado certo!

A próxima etapa serão as receitas pro almoço e tou bastante animada pelo que me espera. Mas por enquanto, foco no café da manhã e nos lanches! Delícia!

***

Tanto a receita do pão, quanto a dos muffins de canela, estão linkadas no próprio texto. Clicando na palavra, você será direcionado à página com a receita. 😉 E se você quiser me acompanhar na minha próxima aventura culinária, ela será essa aqui (bolo funcional de milho, com as devidas substituições, claro!).

Curiosidades “miricanas”

1003370_10201013827240421_14500859_n

Comida de verdade, por essas bandas, é bem caro.

***

Quando digo comida estou falando de alimentos de verdade, como frutas, verduras e legumes. Além de alguns produtos alimentícios considerados saudáveis.

***

E exatamente por isso é fácil entender a obesidade que assola os EUA: fast-foods, junkie foods e afins são MUITO mais baratos e à mão.

***

Falando em comida, as frutas daqui não tem sabor de fruta. É estranho explicar, mas o sabor a que estamos acostumados no Brasil inexiste por esses lados.

***

Carne vermelha também é um produto fora da curva econômica. Ainda bem que não sou carnívora! 😉

***

O americano não almoça. Talvez por isso a tradução de almoço seja “lunch”. Exatamente porque ele faz um lanche na hora do almoço.

***

A refeição verdadeiramente completa é o jantar.

***

Comer nos intervalos não é algo muito comum por aqui.

***

Agora beber copos e copos de café é.

***

Uma parcela interessante da população jovem americana corre. Em qualquer lugar, em qualquer hora.

***

Eles não dão a mínima pra roupa que eles usam. E idem pra que você usa.

***

Conforto e bem-estar é o que dita o vestuário. Ou seja, chinelo e shorts em qualquer lugar vale sim.

***

É possível fazer pão de queijo aqui! A foto que ilustra o post é uma prova disso.

***

Com um pouquinho de criatividade, e muita vontade, a gente acaba descobrindo como se adaptar ao american way of eating sem sair da linha.

***

By the way, desde que cheguei aqui já emagreci quase 2kg!

Little drops from USA

New life

Desde jah, vou pedindo desculpas pela falta de acentos e afins. O teclado eh “miricano” e nao gosta muito dessas coisas.

***

Vou fazer um post com calma falando sobre a viagem, a chegada e tudo que tenho vivido ateh aqui. Por hora, posso dizer que cheguei bem (apesar de nao ter descansado nada no voo) e que as coisas tem caminho ateh aqui.

***

Me mudo para a universidade oficialmente hoje. Tambem quero falar mais sobre isso, fazendo um post com fotos e tudo mais.

***

O que posso dizer por hora eh que tenho conseguido regular a alimentacao sem neuras e estresses (fazendo as melhores escolhas diante das possibilidades), o que tem mantido o peso dentro da margem que estava no Brasil.

***

A unica atividade fisica que fiz ateh agora foi uma trilha no dia do meu aniversario. E foi muito bom.

***

Creio que semana que vem, depois de instalada e das aulas comecadas, conseguirei ter uma rotina estabelecida de atividade fisica.

***

Jah tenho um numero de celular e um computador. Thanks God.

***

E amanha tenho tambem uma entrevista de emprego dentro do Campus. Oremos.

***

Saudade eh uma coisa estranha. Ela se instala quando quer e vai tomando todos os espacos. Em outras palavras, eh bem espacosa a danada!

Organizando a mudança

keep moving

Precisei fazer uma lista de coisas a organizar/comprar/resolver antes da viagem. E ela já tem 15 itens e suas subdivisões.

***

Estão aí as compras a serem feitas, os cancelamentos, as consultas médicas.

***

Tem também itens como ajuste de roupas, seguro saúde que precisa ser fechado e por aí vai.

***

Se mudança já é canseira, imagine uma mudança internacional.

***

Tudo bem que não vou levar muita coisa, mas também não posso deixar nada pra trás.

***

Ou seja, inspira, respira, não pira.

***

Mas algo bom no meio desse tumulto é que consegui, enfim, baixar meu peso.

***

Mãe nutricionista em casa, gente, é o que há. Pra dieta e pra sanidade mental da gente.

***

Sem contar que ela conseguiu marcar praticamente todas as consultas que eu precisava. Thank´s God!

***

No mais, correria, correria, correria.

***

Cansaço aqui é mato!

Inventário da cirurgia

espelho 2
Essa semana completei 3 meses de abdominoplastia e lipo. Engraçado olhar pra trás e ver como passou rápido. Daqui a pouco serão 6 meses e depois 12, quando vou realmente ver o resultado final da cirurgia.

O que mudou nesse tempo? As roupas caem melhor, sem sombra de dúvidas. Não há barriga pulando ou sobrando. E pra quem sempre comprou roupas G ou EG, perceber que o M, dependendo do modelo, serve, é muito bom!

O que não mudou nesse tempo? A eterna vigilância com a alimentação. A necessidade da prática da atividade física. A angústia com o excesso de pele no braço (a intenção é operá-lo no ano que vem, quando eu vier nas férias), que não me deixa usar roupas sem manga e faz com que tantas outras não sirvam. A neura com o peso. Sim, caro leitor, cara leitora, a gente opera a barriga e não o cérebro.

E talvez aqui esteja a maior luta: conseguir ver além da cirurgia, além dos resultados, além da aparência. Estar satisfeita comigo mesma, me preocupar com minha saúde e com meu bem-estar. Ser, enfim.

Se eu indico a cirurgia? Claro que sim! Mas acho fundamental a pessoa estar com o peso mais próximo do desejado (porque a cirurgia não emagrece), já ter uma vida o mais saudável possível (para não perder o que conquistar na mesa de operações pouco tempo depois) e ter total consciência de que a vida muda muito pouco.

Claro que essa mudança, mesmo pequena, pode ser bastante significativa. Mas pra isso, é sempre importante lembrar: a principal mudança deve se passar sempre dentro da gente e não fora!

***

Falando em mudanças e afins, preciso compartilhar esse vídeo com as lindas que passam por aqui!

Little drops das mudanças

mudança
Estou meio sumida, eu sei. Não que eu não tenha o que dizer, mas ando sentindo que o blog tá meio sem foco.
***
Claro que um blog chamado “Inventário da Rê” pode ter tudo que eu quiser. Mas mesmo assim, sinto que tou meio perdida.
***
A ideia inicial era postar meus textos (mais poemas). Depois, passei pros textos motivacionais. Por fim, desemboquei no diário – especialmente em textos que falavam da minha luta contra o excesso de peso.
***
Só que me parece que, com a cirurgia plástica, encerrei parte desse ciclo. Quero dizer, ainda não estou no peso que gostaria. Mas falta pouco, bem pouco (5kg, pra ser mais exata).
***
Claro que chegando lá, não vou parar. Continuei correndo e malhando. Mas dessa vez com outro foco.
***
Sem contar que tem o livro que, tadinho, ainda nem apareceu por essas bandas.
***
E vai ter também uma supermudança, mas essa eu conto pra vocês oficialmente no final da semana.
***
E daí me pego pensando se continuo com o blog do jeito que está, se crio um site e dentro dele divido melhor as estações…
***
Enfim, tou achando que algo vai mudar por aqui. Ou talvez tudo. Alguma sugestão?

Uma pessoa a menos

8659_10200486979589559_122152815_n

 

Não, ninguém morreu. Ou melhor, morreu sim. A velha Renata está sendo sepultada pouco a pouco (vira e mexe ela resiste, mas eu prossigo tacando uma pá de terra em cima dela!) e, com ela, lá se vão quase 60kg.

60kg eliminados sem remédio, sem bariátrica. 60kg eliminados em 3 anos e meio, num processo lento e gradativo, em que a maior mudança não pode ser enxergada a olhos vistos: ela está bem aqui dentro de mim.

E não falo apenas de autoestima. Falo da mudança de pensamento que ocasiona uma mudança de sentimento e, por sua vez, uma mudança de postura. Hoje eu sei que comer demais não cura nada. Pelo contrário. Traz ainda mais problemas e dores. Tudo bem que ainda incorro, vez por outra, nesse erro. Mas cada vez menos e com resultados cada vez menos negativos.

Como eu digo sempre aqui, eu escolhi me cuidar. Escolhi correr atrás do que queria. Não foi fácil. Mas como foi uma escolha, uma decisão pessoal, eu a abracei e paguei um preço pra vê-la acontecer.

E agora, todo mundo pode ver também. E não apenas pode ver, como pode acreditar que é possível sim. Basta sonhar, planejar e, claro, ralar! 😉