Das coisas importantes

1912332_422408807889234_2091238013_n

O que é realmente importante pra você? O que você valoriza de verdade, que você mais preza? Uma dica pra descobrir (caso você não saiba, claro) é ver onde você investe a maior parte do seu tempo, das suas energias, do seu esforço – e, claro, do seu dinheiro.

Não se surpreenda, quando fizer essa análise, ao perceber que o que tem sido importante pra você é aquilo que você mesmo classificaria como futilidades. Sim, infelizmente a gente passa muito tempo, despende muita energia e esforço com coisas que, no fundo, nem acredita serem tão importantes. Mas que acabam se tornando por conta daquilo que fazemos com elas.

Quer um exemplo? Aquele seu colega chato no trabalho. Ele é realmente importante pra você? Sua resposta imediata seria não. Mas antes de dá-la, que tal pensar em quanto tempo voce gasta falando mal dele ou mesmo o pirraçando? Quanta energia você investe simplesmente não gostando dele? Por mais que você não admita, você tem dado toda importância do mundo pra ele.

Isso vale pra tudo. Vale pro colega chato, mas vale pros aborrecimentos da vida, praquela situação desconfortável, pros fracassos, pras dores de cabeça, pros pontos fracos, pras curvas da estrada. Se você investe muito de você em cada uma dessas coisas, elas se tornam sim importantes pra você.

E sabe o que acontece quando você valoriza o que não merece ser valorizado? Aquelas coisas que são realmente importantes vão ficando de escanteio, a vida vai ficando descolorida, os dias vão perdendo o brilho, os momentos simplesmente se repetem e as borboletas no estômago desaparecem.

Se você percebe que está vivendo um momento como esse, talvez seja a hora de mudar o foco. Talvez, como diz a frase ali em cima, seja a hora de você ver onde está construindo sua vida e, caso necessário, fazer uma demolição total e começar a construção do zero. Trabalhoso? Sim, mas extremamente prazeroso também.

Construa a sua vida em torno daquilo que é importante pra você. Valorize o que merece ser realmente valorizado. Invista seu tempo e seu dinheiro no que é realmente precioso. E tenha certeza de plantar um lindo jardim pra onde as borboletas sempre voltarão!

***

Sei que hoje seria o dia de falar sobre dietas e afins, mas lendo essa frase da Paula não pude resistir! 🙂

Anúncios

Curtindo o inverno

Então o inverno bate à porta (literalmente e metaforicamente) e algumas posibilidades se apresentam: lutar contra ele, o que já garantiria de cara uma derrota homérica; maldizê-lo, o que não mudaria nada; fazer de conta que ele simplesmente não chegou, o que só tornaria as coisas mais difíceis; aprender a curtí-lo, com toda a sua frieza, os seus incômodos e a sua intensidade. Sim, eu escolhi a última possibilidade e tive uma das tardes mais divertidas desde que cheguei nesse lugar que, carinhosamente, chamo de Snowland.

Tirei inúmeras fotos, curti a neve, quase congelei os dedos das mãos (mesmo estando com luvas), encarei o sledding, encarei a neve fofa e, ao final de tudo, ainda comi um pão de queijo quentinho servido com um delicioso café.

E mais uma vez, fica a pergunta: o que mudou? Com certeza não foi a estação. O inverno continua aqui, inclemente, cancelando aulas e plano, esfriando até o pensamento. O que mudou então? A minha maneira de passar por ele. Se ele é o caminho pra que logo mais eu primavere, pra que logo mais eu floresça; se ele é mesmo gelidamente inevitável, o jeito é aproveitá-lo e fazer de cada floquinho de neve uma lembrança de que logo mais as flores virão!

Invernando

1888563_10202114393433888_2134864224_n

Olhar lá fora e ver que a neve não para de cair. Perceber que ela já se acumula sobre as calçadas, as ruas, os carros. Procurar um caminho que seja pra sair e simplesmente não encontrá-lo. Essa é a paisagem que consigo enxergar pela janela da minha casa. E hoje, especificamente hoje, também consigo vê-la pela janela da minha alma.

Nem todos os dias são de sol aqui dentro. Há dias, como hoje, ontem e talvez essa semana toda, em que o inverno chega com força. A neve não para de cair, o vento não para de soprar e todos os caminhos parecem simplesmente interdidados. A tristeza invade, a melancolia chega e um cobertor costurado com saudade é a única coisa que aquece. Inverna dentro de mim.

Talvez, pra quem vê de fora, a paisagem parece linda, perfeita. Há neve por todos os lados, uma película branca cobre toda a paisagem. Mas pra quem consegue enxergar um pouco mais além, o inverno pode ser desolador: não há folhas, não há flores, não há frutos. Há apenas resquícios do que se foi.

Desesperador? Enquanto se está no meio dele, provavelmente. Muita energia, muito esforço despendido e tudo o que se vé é desolação. Quanto mais se luta contra, menos se avança.

Então, o que fazer? Talvez, o mais correto, seja entender que invernar faz parte do ciclo. É preciso o inverno chegar, e passar, pra que finalmente a primavera chegue. É preciso que caiam as folhas para que no momento certo as flores apareçam. É preciso que a paisagem se transforme pra que, dentro de algum tempo, ela se renove. É preciso suportar o frio pra que o coração lá na frente se aqueça.

Por mais que eu não veja, é invernando que posso um dia primaverar. 🙂

Alimente-se por inteiro

soul

Na segunda, comentei sobre a dieta que realmente funciona: aquela que começa no cérebro, que muda os nossos pensamentos, passando pelas emoções e alcançando as nossas ações. Como escrevi, não adianta nada mudar o que vai dentro da sua geladeira se você não muda aquilo que vai dentro de você.

Mas como fazer isso? Como mudar seus pensamentos, suas emoções e suas ações? Não adianta nada alimentar o seu corpo direitinho se você deixa que suas emoções e seus pensamentos morram de inanição. Ou se você só os alimenta de porcaria. Uma dieta balanceada vale pra todas as áreas da sua vida e não apenas pro seu corpo.

Incrível a gente perceber como tem a mania de priorizar apenas uma parte de nós. Normalmente, priorizamos aquilo que conseguimos enxergar. E tendemos a nos tornar uma embalagem rica com conteúdo extremamente pobre. Mas claro que existem aqueles que fazem o caminho inverso, alimentam apenas o seu interior e simplesmente esquecem de que existe um corpo que precisa estar bem pra carregar o que vai por dentro.

O segredo dessa história toda está, como sempre, no equilíbrio. Alimente-se bem por fora e por dentro. Cuide das suas emoções da mesma forma que você cuida da sua barriga. Preste atenção no que seus pensamentos estão ingerindo da mesma forma que você presta atenção nas calorias do seu prato.

Você é um ser completo e complexo e alimentação deve seguir essa regrinha básica. Relacionamentos saudáveis, amigos verdadeiros, leituras, músicas, filmes, diversão, novas experiências. Tudo isso alimenta a sua alma. Um bate papo longo com quem você ama, desafios, novas paisagens. Pratos sofisticados que icncrementam sua alimentação. Respirar fundo, pensar no que precisa mudar, conversar com você mesmo, se aceitar, se perdoar. Culinária francesa da mais alta qualidade.

Alimente-se por inteiro. Cuide-se por inteiro. Invista em você de uma forma profunda, que vá além do que o olhar pode alcançar. E experimente, assim, viver a melhor versão de você mesmo!

A dieta que funciona

mind

Paleo, Proteína, Dukan. Vigilantes do peso, Dieta dos pontos, Dieta crua. Dieta do PH, reeducação alimentar. Quer saber a dieta que realmente funciona? Não é aquela mais restritiva, nem aquela mais liberal. Não é aquela que te dá um dia de lixo, muito menos aquela que restringe o que você come depois de tal horas. O segredo da dieta não está na alimentação e muito menos no estômago. A dieta que funciona começa no seu cérebro.

A regra é clara: o que você pensa determina o que você sente que determina como você age. Se quer mudar os seus hábitos, não adianta nada mudar apenas a sua geladeira. Se quer mudar a balança, não adianta nada mudar apenas a dieta. É preciso emagrecer o cérebro primeiro pra depois emagrecer todo o resto. E isso, claro, não é tarefa das mais fáceis.

Muita gente começa empolgado uma nova dieta, tem resultados bacanas no começo, mas depois desanima e acaba engordando mais do que emagreceu. Sem contar aqueles que mal começam e chutam o balde. Falta força de vontade? Falta disciplina? Pode até ser, mas isso, acredite, não é a causa do insucesso. O problema todo está mesmo na programação da cabeça.

Por isso terapia, grupos de apoio, literatura adequada e tudo mais são tão importantes. Emagrecer não é algo apenas de corpo. É algo que precisa acontecer nos pensamentos e nas emoções. É preciso ir além da gordura física. É preciso atacar a gordura mental e a gordura emocional. É preciso trabalhar o que não se vê pra atingir o que é mais evidente.

Esse é um trabalho árduo e que exige muita energia. Porque anos pensando em comida, anos descontando no chocolate as frustrações da vida não mudam de uma hora pra outra. Mas mudam. É possível desde que a gente entenda que é necessário, se empenhe em fazer e não espere mágica. Porque toda mudança de verdade leva tempo e requer eforço e dedicação.

No meio do caminho algumas pedras aparecem. O retrocesso chega. Você pisa na bola com você mesmo. Mas ao invés de desistir, siga em frente. Recomponha-se, perdoe-se, respeite-se. E continue caminhando. Porque por mais que os passos pareçam pequenos, toda mudança de mente é um grande avanço que acontece dentro da gente!

Bússola

compass

Quando se está perdido no meio do nada. Quando não se tem qualquer direção. Quando você anda em círculos e simplesmente não sai do lugar. Quando você precisa de um norte, de um rumo a seguir. Quando você olha em volta e não consegue distinguir norte e sul, leste e oeste. Quando você não sabe pra onde ir, quando não há a menor ideia de pra onde prosseguir. Pra essas horas, pra esses momentos de crucial desespero, uma bússola sempre cai bem.

Que fique claro que ela, dona bússola, não o levará a lugar algum. Ela por ela mesma não empreenderá nenhum esforço no sentido de fazê-lo prosseguir. Ela não é a responsável sequer pelo primeiro passo. O papel dela é simplesmente dizer a você: ali é o norte, ali é o sul, o leste está pra cá e o oeste está pra lá. Com ela em mãos, você tem a exata noção de onde estão os pontos. Agora chegar até lá é com você e suas pernas.

Mas nem por isso a gente pode minimizar a importância que ela tem. Porque sem ela, mais uma vez a gente volta pras situações do primeiro parágrafo: falta de direção, de sentido, de um rumo, um caminho que seja pra prosseguir.

Assim são os sonhos. Eles são a bússola da vida. Eles apontam a direção, eles apontam o caminho, eles nos mostram um ponto além do nada. Mas eles, repito, são apenas bússolas. Se você irá caminhar, quanto esforço irá empenhar. Se você irá vencer, se não irá desistir, não é algo que cabe a eles. Cabe exclusivamente a você.

Como bússolas, os sonhos são de vital importância. Sem eles, simplesmente andamos em círculos e não saímos do lugar. Sem eles, não temos direção e o desespero é uma constante. Mas eles por eles mesmos não nos fazem conquistar; eles por eles mesmos não nos levam a lugar algum. Eles apontam o caminho, eles sinalizam a direção. Eles acendem uma luz, colocam a seta e até podem nos guiar até lá. Mas pra chegar, nós é que precisamos nos esforçar. Nós é que precisamos fazer acontecer.

Ninguém vive apenas de sonhos. Assim como também quem vive sem sonhar nunca sabe que rumo tomar. Por isso, é preciso ter consigo a bússola. E carregar juntamente com ela a coragem, o desejo, a motivação, a força, a fé, a esperança de que vale a pena seguir aquele rumo. De que vale a pena seguir aquele caminho.

Sonhe. Sonhe muito. Mas vá além. Use seus sonhos como bússola para conquistar a realidade que você deseja!

Malhando em casa

923073_10201998146767794_1017466540_n

Com temperaturas variando entre -7°C e -17°C, vamos combinar que malhar do lado de fora é algo impensável. Sendo assim, corridas, caminhadas e qualquer coisa ao ar livre fica simplesmente impossível de fazer. E aí, como proceder? Deixar de lado a atividade física e esperar o inverno passar?

Se a gente pensar que o inverno dura até meados de março e que as temperaturas frias vão até abril, seriam quase 4 meses sem colocar o corpo em movimento – o que é péssimo não somente pra quem deseja perder ou manter peso. É péssimo pra quem quer levar uma vida saudável.

Assim, voltamos pra pergunta inicial: o que fazer? Se academia também não é uma saída viável (não no meu caso e por n motivos), o jeito é se virar dentro de casa. E acredite: isso é bem possível.

Com alguns poucos equipamentos de treinamento funcional, dá pra fazer um circuito que trabalha pernas, braços e abdômen. E isso, repito, dentro do aconchego do seu lar. Se precisar de ideias sobre quais exercícios fazer, o youtube oferece uma gama de possibilidades – muitas delas bastante interessantes como essa e essa aqui.

7 minutesNão tem nenhum aparelho? Não tem problema! Existem diversas possibilidades para se exercitar sem a necessidade de nada além do seu corpo e de uma cadeira. Por esses lados de cá, a moda agora é o “The Scientific 7-minute workout”.

De acordo com matéria veiculada no NY Times (clique aqui para lê-la em inglês), com apenas 7 minutos você se exercita todos os dias e alcança alguns resultados bem interessantes. O segredo? 12 exercícios feitos em 30 segundos com intervalos de 10 segundos cada (na imagem do parágrafo anterior você pode ver os exercícios e a ordem em que devem ser praticados), sendo que você pode repetir toda a série quantas vezes desejar (o ideal, de acordo com especialistas, são 3 vezes para melhores resultados). O legal é que existem apps tanto pra Android quanto pra IOS pra ajudá-lo na atividade. E antes que os profissionais de educação física atirem a primeira pedra, quero deixar claro que particularmente não acho que nada substitua uma ida à academia com supervisão profissional. Mas se isso não é possível, treinar os 7 minutos em casa pode ser uma bela ajuda.

Ajuda essa, que fique clara a minha opinião mais uma vez, que não tem nada de milagrosa e que pode (e deve) ser adicionada a outras atividades. Como subir e descer degraus, por exemplo. Pra quem, como eu, tem escada em casa, não existe desculpa pra ficar parado. Tá de bobeira em casa? Sobe correndo e desce andando quantas vezes conseguir.

Diante de tantas possibilidades, não existem desculpas pra não se mexer. Sejam apenas 7 minutos ou 7 multiplicados por tantos outros, o segredo é não ficar parado e fazer acontecer!

***

mondayResolvi tentar metodologizar as postagens aqui no blog pra ver se eu me animo a movimentá-lo mais. Segunda, o dia mundial do início da dieta, será voltada exatamente pra isso: pra textos sobre atividade física e reeducação alimentar. Prometo ir atualizando vocês sobre os resultados vistos com os 7 minutos feitos em casa e demais atividades! 😉