Chegando e partindo

prisma

De acordo com a Wikipedia, foco é o ponto para onde converge alguma coisa. Ou ainda, é o centro de algo. Mas não é apenas isso. Ele é o ponto de convergência, mas é também o ponto de onde saem todas as coisas.

Ponto de partida e ponto de chegada. Foco é isso. Um lugar em que concentramos todas as nossas energias e também de onde tiramos toda a energia necessária para continuar lutando. É ali em que descansamos, mas é ali também que somos impulsionados a seguir adiante.

Só que infelizmente, nossa tendência é enxergar o foco com os olhos da zona de conforto. A gente até entende que é nele que precisamos chegar, mas dificilmente entendemos que é dele também que precisamos partir. Tendemos a ver apenas o lado que nos motiva a concentrar e nos esquecemos de que essa concentração existe para que continuemos o caminho.

O foco não pode e nem deve represar nossos sonhos, objetivos e desejos. Pelo contrário. Ele deve concentrá-los em si e, ao mesmo tempo, deve ampliá-los à máxima potência. Deve nos impulsionar a continuar caminhando, a partir dele mesmo. Exatamente como um prisma. Exatamente como a figura acima.

E por que estou falando isso tudo? Porque é exatamente disso que preciso me lembrar nos próximos 60 dias: que não basta focar, é preciso continuar caminhando. Não basta saber onde quero chegar, mas preciso saber de onde quero partir. E não apenas isso: preciso ir e voltar sempre que preciso.

Aproveitando o momento, convido você a vir comigo. Que tal a gente aprender a tirar o máximo proveito do foco e viver uma vida ainda mais colorida, com grande sonhos, grandes objetivos e, acima de tudo, imensas realizações? 😉

Anúncios