Experimentando e gostando

1780894_10202158949827770_345357477_n

Já faz algum tempo que percebo que minha dieta anda BEM monótona. Claro que as restrições ajudam (especialmente aquelas autoimpostas, como o não comer glúten), mas o que mais andava pegando era mesmo a preguiça. Cozinha nunca foi lá uma das minhas grandes paixões, então fui levando até perceber que minha dieta andava MUITO chata e acabava servindo de “desculpa” praquelas escapadelas homéricas.

E o que foi que eu fiz? Resolvi inovar. Sigo uma amiga de São Paulo que faz a dieta Dukan (oi, Carine!) e percebi que muitas das receitas deliciosas que ela faz, com as devidas substituições, poderiam ser incorporadas facilmente ao meu dia a dia.

1661487_10202161482411083_1611883014_nPra não desanimar ou não desistir, resolvi começar devagar e ir incrementando aos poucos as refeições. Então, nesse momento, estou na fase de inovações pro café das manhã e pros lanches. Já fiz panqueca falsa (no liquidificador bata um ovo e uma banana e pronto!, só colocar na frigideira), pão de micro-ondas e muffins de canela. Tudo muito rápido, simples e delicioso. Me empolguei! Sem contar que comer pão, depois de um bom tempo afastada dessa iguaria, chega a ser emocionante!

Pra quem se animou ou simplesmente teve curiosidade, indico dois sites: Receita Dukan, que como o nome já indica apresenta as receitas permitidas pra quem segue a dieta, e o Blog da Mimis, superfamoso e com receitas que, mesmo contendo glúten, podem ser facilmente adaptadas.

1947329_10202166253530358_529800562_nAdaptação tem sido a palavra chave. Como por enquanto só tenho a farinha de arroz (pretendo comprar farinha de coco em breve), toda sugestão de farelo de aveia ou mesmo de soja eu substituo por ela. E tem dado supercerto. Além de substituir o iogurte natural por cream cheese light, já que esse tipo de iogurte eu não encontro aqui. Enfim, o segredo tem sido inovar e tentar. E tem dado certo!

A próxima etapa serão as receitas pro almoço e tou bastante animada pelo que me espera. Mas por enquanto, foco no café da manhã e nos lanches! Delícia!

***

Tanto a receita do pão, quanto a dos muffins de canela, estão linkadas no próprio texto. Clicando na palavra, você será direcionado à página com a receita. 😉 E se você quiser me acompanhar na minha próxima aventura culinária, ela será essa aqui (bolo funcional de milho, com as devidas substituições, claro!).

Anúncios

A dieta que funciona

mind

Paleo, Proteína, Dukan. Vigilantes do peso, Dieta dos pontos, Dieta crua. Dieta do PH, reeducação alimentar. Quer saber a dieta que realmente funciona? Não é aquela mais restritiva, nem aquela mais liberal. Não é aquela que te dá um dia de lixo, muito menos aquela que restringe o que você come depois de tal horas. O segredo da dieta não está na alimentação e muito menos no estômago. A dieta que funciona começa no seu cérebro.

A regra é clara: o que você pensa determina o que você sente que determina como você age. Se quer mudar os seus hábitos, não adianta nada mudar apenas a sua geladeira. Se quer mudar a balança, não adianta nada mudar apenas a dieta. É preciso emagrecer o cérebro primeiro pra depois emagrecer todo o resto. E isso, claro, não é tarefa das mais fáceis.

Muita gente começa empolgado uma nova dieta, tem resultados bacanas no começo, mas depois desanima e acaba engordando mais do que emagreceu. Sem contar aqueles que mal começam e chutam o balde. Falta força de vontade? Falta disciplina? Pode até ser, mas isso, acredite, não é a causa do insucesso. O problema todo está mesmo na programação da cabeça.

Por isso terapia, grupos de apoio, literatura adequada e tudo mais são tão importantes. Emagrecer não é algo apenas de corpo. É algo que precisa acontecer nos pensamentos e nas emoções. É preciso ir além da gordura física. É preciso atacar a gordura mental e a gordura emocional. É preciso trabalhar o que não se vê pra atingir o que é mais evidente.

Esse é um trabalho árduo e que exige muita energia. Porque anos pensando em comida, anos descontando no chocolate as frustrações da vida não mudam de uma hora pra outra. Mas mudam. É possível desde que a gente entenda que é necessário, se empenhe em fazer e não espere mágica. Porque toda mudança de verdade leva tempo e requer eforço e dedicação.

No meio do caminho algumas pedras aparecem. O retrocesso chega. Você pisa na bola com você mesmo. Mas ao invés de desistir, siga em frente. Recomponha-se, perdoe-se, respeite-se. E continue caminhando. Porque por mais que os passos pareçam pequenos, toda mudança de mente é um grande avanço que acontece dentro da gente!

Malhando em casa

923073_10201998146767794_1017466540_n

Com temperaturas variando entre -7°C e -17°C, vamos combinar que malhar do lado de fora é algo impensável. Sendo assim, corridas, caminhadas e qualquer coisa ao ar livre fica simplesmente impossível de fazer. E aí, como proceder? Deixar de lado a atividade física e esperar o inverno passar?

Se a gente pensar que o inverno dura até meados de março e que as temperaturas frias vão até abril, seriam quase 4 meses sem colocar o corpo em movimento – o que é péssimo não somente pra quem deseja perder ou manter peso. É péssimo pra quem quer levar uma vida saudável.

Assim, voltamos pra pergunta inicial: o que fazer? Se academia também não é uma saída viável (não no meu caso e por n motivos), o jeito é se virar dentro de casa. E acredite: isso é bem possível.

Com alguns poucos equipamentos de treinamento funcional, dá pra fazer um circuito que trabalha pernas, braços e abdômen. E isso, repito, dentro do aconchego do seu lar. Se precisar de ideias sobre quais exercícios fazer, o youtube oferece uma gama de possibilidades – muitas delas bastante interessantes como essa e essa aqui.

7 minutesNão tem nenhum aparelho? Não tem problema! Existem diversas possibilidades para se exercitar sem a necessidade de nada além do seu corpo e de uma cadeira. Por esses lados de cá, a moda agora é o “The Scientific 7-minute workout”.

De acordo com matéria veiculada no NY Times (clique aqui para lê-la em inglês), com apenas 7 minutos você se exercita todos os dias e alcança alguns resultados bem interessantes. O segredo? 12 exercícios feitos em 30 segundos com intervalos de 10 segundos cada (na imagem do parágrafo anterior você pode ver os exercícios e a ordem em que devem ser praticados), sendo que você pode repetir toda a série quantas vezes desejar (o ideal, de acordo com especialistas, são 3 vezes para melhores resultados). O legal é que existem apps tanto pra Android quanto pra IOS pra ajudá-lo na atividade. E antes que os profissionais de educação física atirem a primeira pedra, quero deixar claro que particularmente não acho que nada substitua uma ida à academia com supervisão profissional. Mas se isso não é possível, treinar os 7 minutos em casa pode ser uma bela ajuda.

Ajuda essa, que fique clara a minha opinião mais uma vez, que não tem nada de milagrosa e que pode (e deve) ser adicionada a outras atividades. Como subir e descer degraus, por exemplo. Pra quem, como eu, tem escada em casa, não existe desculpa pra ficar parado. Tá de bobeira em casa? Sobe correndo e desce andando quantas vezes conseguir.

Diante de tantas possibilidades, não existem desculpas pra não se mexer. Sejam apenas 7 minutos ou 7 multiplicados por tantos outros, o segredo é não ficar parado e fazer acontecer!

***

mondayResolvi tentar metodologizar as postagens aqui no blog pra ver se eu me animo a movimentá-lo mais. Segunda, o dia mundial do início da dieta, será voltada exatamente pra isso: pra textos sobre atividade física e reeducação alimentar. Prometo ir atualizando vocês sobre os resultados vistos com os 7 minutos feitos em casa e demais atividades! 😉

Little drops from States

saudades

Primeira prova feita semana passada.

***

Ao contrário do que eu pensei, fiquei bem calma e tranquila.

***

Tenho certeza de que não arrebentei a boca do balão, mas fiz o meu melhor.

***

E que venha o resultado!

***

A gente só descobre que saudade não tem fim e cresce indefinida e exponencialmente quando se afasta de quem a gente ama.

***

O friozim já começa a aparecer. 10 graus celsius em algumas noites.

***

E esfriando.

***

Tenho tentado manter uma rotina de atividade física. Por enquanto, correndo de duas a três vezes por semana.

***

Finalmente coloquei o TRX pra funcionar e fiz, pela primeira vez, treinamento suspenso em casa.

***

O nome disso? O inverno vem aí!

***

O objetivo pra outubro é terminar de perder os quilos que desejo (algo em tonro de 3 e 4) e depois manter.

***

Oremos.

Curiosidades “miricanas”

1003370_10201013827240421_14500859_n

Comida de verdade, por essas bandas, é bem caro.

***

Quando digo comida estou falando de alimentos de verdade, como frutas, verduras e legumes. Além de alguns produtos alimentícios considerados saudáveis.

***

E exatamente por isso é fácil entender a obesidade que assola os EUA: fast-foods, junkie foods e afins são MUITO mais baratos e à mão.

***

Falando em comida, as frutas daqui não tem sabor de fruta. É estranho explicar, mas o sabor a que estamos acostumados no Brasil inexiste por esses lados.

***

Carne vermelha também é um produto fora da curva econômica. Ainda bem que não sou carnívora! 😉

***

O americano não almoça. Talvez por isso a tradução de almoço seja “lunch”. Exatamente porque ele faz um lanche na hora do almoço.

***

A refeição verdadeiramente completa é o jantar.

***

Comer nos intervalos não é algo muito comum por aqui.

***

Agora beber copos e copos de café é.

***

Uma parcela interessante da população jovem americana corre. Em qualquer lugar, em qualquer hora.

***

Eles não dão a mínima pra roupa que eles usam. E idem pra que você usa.

***

Conforto e bem-estar é o que dita o vestuário. Ou seja, chinelo e shorts em qualquer lugar vale sim.

***

É possível fazer pão de queijo aqui! A foto que ilustra o post é uma prova disso.

***

Com um pouquinho de criatividade, e muita vontade, a gente acaba descobrindo como se adaptar ao american way of eating sem sair da linha.

***

By the way, desde que cheguei aqui já emagreci quase 2kg!

Organizando a mudança

keep moving

Precisei fazer uma lista de coisas a organizar/comprar/resolver antes da viagem. E ela já tem 15 itens e suas subdivisões.

***

Estão aí as compras a serem feitas, os cancelamentos, as consultas médicas.

***

Tem também itens como ajuste de roupas, seguro saúde que precisa ser fechado e por aí vai.

***

Se mudança já é canseira, imagine uma mudança internacional.

***

Tudo bem que não vou levar muita coisa, mas também não posso deixar nada pra trás.

***

Ou seja, inspira, respira, não pira.

***

Mas algo bom no meio desse tumulto é que consegui, enfim, baixar meu peso.

***

Mãe nutricionista em casa, gente, é o que há. Pra dieta e pra sanidade mental da gente.

***

Sem contar que ela conseguiu marcar praticamente todas as consultas que eu precisava. Thank´s God!

***

No mais, correria, correria, correria.

***

Cansaço aqui é mato!

Inventário da cirurgia

espelho 2
Essa semana completei 3 meses de abdominoplastia e lipo. Engraçado olhar pra trás e ver como passou rápido. Daqui a pouco serão 6 meses e depois 12, quando vou realmente ver o resultado final da cirurgia.

O que mudou nesse tempo? As roupas caem melhor, sem sombra de dúvidas. Não há barriga pulando ou sobrando. E pra quem sempre comprou roupas G ou EG, perceber que o M, dependendo do modelo, serve, é muito bom!

O que não mudou nesse tempo? A eterna vigilância com a alimentação. A necessidade da prática da atividade física. A angústia com o excesso de pele no braço (a intenção é operá-lo no ano que vem, quando eu vier nas férias), que não me deixa usar roupas sem manga e faz com que tantas outras não sirvam. A neura com o peso. Sim, caro leitor, cara leitora, a gente opera a barriga e não o cérebro.

E talvez aqui esteja a maior luta: conseguir ver além da cirurgia, além dos resultados, além da aparência. Estar satisfeita comigo mesma, me preocupar com minha saúde e com meu bem-estar. Ser, enfim.

Se eu indico a cirurgia? Claro que sim! Mas acho fundamental a pessoa estar com o peso mais próximo do desejado (porque a cirurgia não emagrece), já ter uma vida o mais saudável possível (para não perder o que conquistar na mesa de operações pouco tempo depois) e ter total consciência de que a vida muda muito pouco.

Claro que essa mudança, mesmo pequena, pode ser bastante significativa. Mas pra isso, é sempre importante lembrar: a principal mudança deve se passar sempre dentro da gente e não fora!

***

Falando em mudanças e afins, preciso compartilhar esse vídeo com as lindas que passam por aqui!