Experimentando e gostando

1780894_10202158949827770_345357477_n

Já faz algum tempo que percebo que minha dieta anda BEM monótona. Claro que as restrições ajudam (especialmente aquelas autoimpostas, como o não comer glúten), mas o que mais andava pegando era mesmo a preguiça. Cozinha nunca foi lá uma das minhas grandes paixões, então fui levando até perceber que minha dieta andava MUITO chata e acabava servindo de “desculpa” praquelas escapadelas homéricas.

E o que foi que eu fiz? Resolvi inovar. Sigo uma amiga de São Paulo que faz a dieta Dukan (oi, Carine!) e percebi que muitas das receitas deliciosas que ela faz, com as devidas substituições, poderiam ser incorporadas facilmente ao meu dia a dia.

1661487_10202161482411083_1611883014_nPra não desanimar ou não desistir, resolvi começar devagar e ir incrementando aos poucos as refeições. Então, nesse momento, estou na fase de inovações pro café das manhã e pros lanches. Já fiz panqueca falsa (no liquidificador bata um ovo e uma banana e pronto!, só colocar na frigideira), pão de micro-ondas e muffins de canela. Tudo muito rápido, simples e delicioso. Me empolguei! Sem contar que comer pão, depois de um bom tempo afastada dessa iguaria, chega a ser emocionante!

Pra quem se animou ou simplesmente teve curiosidade, indico dois sites: Receita Dukan, que como o nome já indica apresenta as receitas permitidas pra quem segue a dieta, e o Blog da Mimis, superfamoso e com receitas que, mesmo contendo glúten, podem ser facilmente adaptadas.

1947329_10202166253530358_529800562_nAdaptação tem sido a palavra chave. Como por enquanto só tenho a farinha de arroz (pretendo comprar farinha de coco em breve), toda sugestão de farelo de aveia ou mesmo de soja eu substituo por ela. E tem dado supercerto. Além de substituir o iogurte natural por cream cheese light, já que esse tipo de iogurte eu não encontro aqui. Enfim, o segredo tem sido inovar e tentar. E tem dado certo!

A próxima etapa serão as receitas pro almoço e tou bastante animada pelo que me espera. Mas por enquanto, foco no café da manhã e nos lanches! Delícia!

***

Tanto a receita do pão, quanto a dos muffins de canela, estão linkadas no próprio texto. Clicando na palavra, você será direcionado à página com a receita. 😉 E se você quiser me acompanhar na minha próxima aventura culinária, ela será essa aqui (bolo funcional de milho, com as devidas substituições, claro!).

Das coisas importantes

1912332_422408807889234_2091238013_n

O que é realmente importante pra você? O que você valoriza de verdade, que você mais preza? Uma dica pra descobrir (caso você não saiba, claro) é ver onde você investe a maior parte do seu tempo, das suas energias, do seu esforço – e, claro, do seu dinheiro.

Não se surpreenda, quando fizer essa análise, ao perceber que o que tem sido importante pra você é aquilo que você mesmo classificaria como futilidades. Sim, infelizmente a gente passa muito tempo, despende muita energia e esforço com coisas que, no fundo, nem acredita serem tão importantes. Mas que acabam se tornando por conta daquilo que fazemos com elas.

Quer um exemplo? Aquele seu colega chato no trabalho. Ele é realmente importante pra você? Sua resposta imediata seria não. Mas antes de dá-la, que tal pensar em quanto tempo voce gasta falando mal dele ou mesmo o pirraçando? Quanta energia você investe simplesmente não gostando dele? Por mais que você não admita, você tem dado toda importância do mundo pra ele.

Isso vale pra tudo. Vale pro colega chato, mas vale pros aborrecimentos da vida, praquela situação desconfortável, pros fracassos, pras dores de cabeça, pros pontos fracos, pras curvas da estrada. Se você investe muito de você em cada uma dessas coisas, elas se tornam sim importantes pra você.

E sabe o que acontece quando você valoriza o que não merece ser valorizado? Aquelas coisas que são realmente importantes vão ficando de escanteio, a vida vai ficando descolorida, os dias vão perdendo o brilho, os momentos simplesmente se repetem e as borboletas no estômago desaparecem.

Se você percebe que está vivendo um momento como esse, talvez seja a hora de mudar o foco. Talvez, como diz a frase ali em cima, seja a hora de você ver onde está construindo sua vida e, caso necessário, fazer uma demolição total e começar a construção do zero. Trabalhoso? Sim, mas extremamente prazeroso também.

Construa a sua vida em torno daquilo que é importante pra você. Valorize o que merece ser realmente valorizado. Invista seu tempo e seu dinheiro no que é realmente precioso. E tenha certeza de plantar um lindo jardim pra onde as borboletas sempre voltarão!

***

Sei que hoje seria o dia de falar sobre dietas e afins, mas lendo essa frase da Paula não pude resistir! 🙂

Curtindo o inverno

Então o inverno bate à porta (literalmente e metaforicamente) e algumas posibilidades se apresentam: lutar contra ele, o que já garantiria de cara uma derrota homérica; maldizê-lo, o que não mudaria nada; fazer de conta que ele simplesmente não chegou, o que só tornaria as coisas mais difíceis; aprender a curtí-lo, com toda a sua frieza, os seus incômodos e a sua intensidade. Sim, eu escolhi a última possibilidade e tive uma das tardes mais divertidas desde que cheguei nesse lugar que, carinhosamente, chamo de Snowland.

Tirei inúmeras fotos, curti a neve, quase congelei os dedos das mãos (mesmo estando com luvas), encarei o sledding, encarei a neve fofa e, ao final de tudo, ainda comi um pão de queijo quentinho servido com um delicioso café.

E mais uma vez, fica a pergunta: o que mudou? Com certeza não foi a estação. O inverno continua aqui, inclemente, cancelando aulas e plano, esfriando até o pensamento. O que mudou então? A minha maneira de passar por ele. Se ele é o caminho pra que logo mais eu primavere, pra que logo mais eu floresça; se ele é mesmo gelidamente inevitável, o jeito é aproveitá-lo e fazer de cada floquinho de neve uma lembrança de que logo mais as flores virão!

Invernando

1888563_10202114393433888_2134864224_n

Olhar lá fora e ver que a neve não para de cair. Perceber que ela já se acumula sobre as calçadas, as ruas, os carros. Procurar um caminho que seja pra sair e simplesmente não encontrá-lo. Essa é a paisagem que consigo enxergar pela janela da minha casa. E hoje, especificamente hoje, também consigo vê-la pela janela da minha alma.

Nem todos os dias são de sol aqui dentro. Há dias, como hoje, ontem e talvez essa semana toda, em que o inverno chega com força. A neve não para de cair, o vento não para de soprar e todos os caminhos parecem simplesmente interdidados. A tristeza invade, a melancolia chega e um cobertor costurado com saudade é a única coisa que aquece. Inverna dentro de mim.

Talvez, pra quem vê de fora, a paisagem parece linda, perfeita. Há neve por todos os lados, uma película branca cobre toda a paisagem. Mas pra quem consegue enxergar um pouco mais além, o inverno pode ser desolador: não há folhas, não há flores, não há frutos. Há apenas resquícios do que se foi.

Desesperador? Enquanto se está no meio dele, provavelmente. Muita energia, muito esforço despendido e tudo o que se vé é desolação. Quanto mais se luta contra, menos se avança.

Então, o que fazer? Talvez, o mais correto, seja entender que invernar faz parte do ciclo. É preciso o inverno chegar, e passar, pra que finalmente a primavera chegue. É preciso que caiam as folhas para que no momento certo as flores apareçam. É preciso que a paisagem se transforme pra que, dentro de algum tempo, ela se renove. É preciso suportar o frio pra que o coração lá na frente se aqueça.

Por mais que eu não veja, é invernando que posso um dia primaverar. 🙂

Alimente-se por inteiro

soul

Na segunda, comentei sobre a dieta que realmente funciona: aquela que começa no cérebro, que muda os nossos pensamentos, passando pelas emoções e alcançando as nossas ações. Como escrevi, não adianta nada mudar o que vai dentro da sua geladeira se você não muda aquilo que vai dentro de você.

Mas como fazer isso? Como mudar seus pensamentos, suas emoções e suas ações? Não adianta nada alimentar o seu corpo direitinho se você deixa que suas emoções e seus pensamentos morram de inanição. Ou se você só os alimenta de porcaria. Uma dieta balanceada vale pra todas as áreas da sua vida e não apenas pro seu corpo.

Incrível a gente perceber como tem a mania de priorizar apenas uma parte de nós. Normalmente, priorizamos aquilo que conseguimos enxergar. E tendemos a nos tornar uma embalagem rica com conteúdo extremamente pobre. Mas claro que existem aqueles que fazem o caminho inverso, alimentam apenas o seu interior e simplesmente esquecem de que existe um corpo que precisa estar bem pra carregar o que vai por dentro.

O segredo dessa história toda está, como sempre, no equilíbrio. Alimente-se bem por fora e por dentro. Cuide das suas emoções da mesma forma que você cuida da sua barriga. Preste atenção no que seus pensamentos estão ingerindo da mesma forma que você presta atenção nas calorias do seu prato.

Você é um ser completo e complexo e alimentação deve seguir essa regrinha básica. Relacionamentos saudáveis, amigos verdadeiros, leituras, músicas, filmes, diversão, novas experiências. Tudo isso alimenta a sua alma. Um bate papo longo com quem você ama, desafios, novas paisagens. Pratos sofisticados que icncrementam sua alimentação. Respirar fundo, pensar no que precisa mudar, conversar com você mesmo, se aceitar, se perdoar. Culinária francesa da mais alta qualidade.

Alimente-se por inteiro. Cuide-se por inteiro. Invista em você de uma forma profunda, que vá além do que o olhar pode alcançar. E experimente, assim, viver a melhor versão de você mesmo!

A dieta que funciona

mind

Paleo, Proteína, Dukan. Vigilantes do peso, Dieta dos pontos, Dieta crua. Dieta do PH, reeducação alimentar. Quer saber a dieta que realmente funciona? Não é aquela mais restritiva, nem aquela mais liberal. Não é aquela que te dá um dia de lixo, muito menos aquela que restringe o que você come depois de tal horas. O segredo da dieta não está na alimentação e muito menos no estômago. A dieta que funciona começa no seu cérebro.

A regra é clara: o que você pensa determina o que você sente que determina como você age. Se quer mudar os seus hábitos, não adianta nada mudar apenas a sua geladeira. Se quer mudar a balança, não adianta nada mudar apenas a dieta. É preciso emagrecer o cérebro primeiro pra depois emagrecer todo o resto. E isso, claro, não é tarefa das mais fáceis.

Muita gente começa empolgado uma nova dieta, tem resultados bacanas no começo, mas depois desanima e acaba engordando mais do que emagreceu. Sem contar aqueles que mal começam e chutam o balde. Falta força de vontade? Falta disciplina? Pode até ser, mas isso, acredite, não é a causa do insucesso. O problema todo está mesmo na programação da cabeça.

Por isso terapia, grupos de apoio, literatura adequada e tudo mais são tão importantes. Emagrecer não é algo apenas de corpo. É algo que precisa acontecer nos pensamentos e nas emoções. É preciso ir além da gordura física. É preciso atacar a gordura mental e a gordura emocional. É preciso trabalhar o que não se vê pra atingir o que é mais evidente.

Esse é um trabalho árduo e que exige muita energia. Porque anos pensando em comida, anos descontando no chocolate as frustrações da vida não mudam de uma hora pra outra. Mas mudam. É possível desde que a gente entenda que é necessário, se empenhe em fazer e não espere mágica. Porque toda mudança de verdade leva tempo e requer eforço e dedicação.

No meio do caminho algumas pedras aparecem. O retrocesso chega. Você pisa na bola com você mesmo. Mas ao invés de desistir, siga em frente. Recomponha-se, perdoe-se, respeite-se. E continue caminhando. Porque por mais que os passos pareçam pequenos, toda mudança de mente é um grande avanço que acontece dentro da gente!