Você se permite sonhar?

sonho

No meu trabalho, ajudo as pessoas a definirem objetivos, traçarem metas, fazerem um planejamento e se organizarem para atingirem estes objetivos. Mas, muitas vezes, o problema não é a falta de objetivo, metas, planejamento ou organização.

O primeiro passo pra se realizar qualquer coisa na vida é sonhar.

Essa semana, tive duas clientes que, cada uma a seu modo, me mostraram faces do verdadeiro problema: elas não sabiam quais eram seus sonhos.

E quando a gente não sabe quais são os nossos sonhos, a gente não faz nada pra realizá-los. A gente vai sendo levado pela vida, sem direção. Ou, pior ainda, na direção que outras pessoas escolheram pra gente e a gente, por inércia, aceitou. Mesmo quando a gente sabe quais são os nossos sonhos, a gente muitas vezes não pensa em qual é o preço que estamos pagando, hoje, por não estar correndo atrás deles. E, mais importante, qual é o preço que vamos pagar se chegarmos no final da vida e não tivermos nem sequer tentado realizá-los.

Quando faço essas perguntas aos meus clientes, muitas vezes escuto que o preço por não realizar seus sonhos é a tristeza, depressão, fracasso, baixa autoestima, e, no final da vida, a sensação de ter jogado a vida fora.

Eu sempre quis viajar o mundo. Em abril do ano passado, fui demitida do meu emprego e me vi, de uma hora pra outra, desempregada e sozinha com um filho para sustentar.

Eu poderia ter pensado: é, agora realmente não vai dar pra viajar o mundo, porque “pra viajar eu preciso de muito dinheiro”. De lá pra cá, eu estive em Nova York, Londres, Paris, Amsterdã, Bélgica, Frankfurt, Berlim, Heidelberg e, nesse exato momento em que você me lê (se o meu avião não tiver caído) eu estou em Santorini. E daqui irei para Mykonos, Ios, Roma, Florença, Arezzo, Perugia, Pisa, San Gimignano, Siena, Veneza, Verona, Ibiza e Formentera.

E, no fim do ano, vou levar um grupo de 20 pessoas para atravessar o deserto do Saara (vamos?).

Cada uma dessas viagens teve suas circunstâncias ~especiais~ que as tornaram possíveis. Desde eu ter me hospedado no Brooklyn na casa de uma artista plástica que conheci e hospedei na minha casa por conta de um olá que dei pela janela, passando por dormir na casa de ~estranhos~ fazendo couchsurfing em Amsterdã, até estar indo para o Saara a trabalho, não só não pagando nada, mas também ganhando pra isso.

Circunstâncias que eu acharia impossíveis na minha vida passada. Então te proponho hoje começar a sua semana de um modo diferente: sonhando. Pegue uma folha de papel e liste pelo menos 10 sonhos seus, dos mais simples aos mais malucos.

Não se limite por crenças negativas.

Se permita sonhar.

Paula Abreu

***

Recebi esse texto por email e achei que ele seria uma ótima forma de começar a semana. Ele é de autoria da Paula Abreu, do excelente Escolha a sua vida. Passe lá e descubra outras lindezas escritas pela Paula!

2 pensamentos sobre “Você se permite sonhar?

  1. Uau! Sem palavras… vou passar no site da Paula pra conhecer. Adorei o “dream big… believe bigger” … pq é bem isso mesmo que tem que ser, né?

    Obrigada por compartilhar!

    Beijinhos

    • Jú, vale MUITO a pena visitar o site da Pula. E mais: cadastre-se na news, q toda semana tem email fresquinho e cheio de textos bacanas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s