Aquela dos extremos

extremos

Anda toda colorida. Anda toda em preto e branco.
Maquiada hoje. Ao natural amanhã.
Acaba de dizer que ama os lisos, mas ontem amava os cacheados.
Unhas sempre bem feitas. Mal tira a cutícula.
Malha sem parar. Para a vida pra não malhar.
Só gosta dos longos. Prefere os curtos.
Sim ou não.
Amor ou ódio.
Alegria intensa ou tristeza profunda.
Medo ou coragem.
Altos ou baixos.
Agito ou tédio.
Quente ou gelado.
E quanto ao morno?
Nunca para no meio. Ela é sempre aquela das pontas.
Aquela dos extremos.

***

Não sou assim em todas as áreas da minha vida e muito menos o tempo todo. Mas em muitas coisas sou sim aquela dos extremos. Um exemplo básico e clássico? Não gosto de shakes ou mesmo de gelatinas porque não tem uma textura muito definida. Como não são líquidos, nem sólidos, meu paladar simplesmente não os digere.

E mais uma vez percebo que em relação a atividade física sou exatamente aquela dos extremos. Já tentei, confesso, chegar ao equilíbrio, mas ainda não consegui. E, enquanto eu não chegar mais perto do meio, acredito que vou viver sempre nessa angústia de não ver a balança descer. Afinal, o corpo também precisa de descanso.

Pensando nisso, vou ter que rever os meus objetivos pros próximos 60 dias (já se passaram 15). Aquela dos extremos que habita em mim fica extremamente triste em imaginar que não terá um alvo. Talvez, o segredo, diz aquela do meio, seja ter um objetivo mais leve, mais tranquilo. E até, quem sabe, mais lúdico e menos rígido.

Vou pensar nisso e, assim que chegar a uma conclusão, posto aqui. Mas, enquanto isso, vou tentar dar uma voltinha no meio. Quem sabe não descubro o que estou procurando exatamente ali?

8 pensamentos sobre “Aquela dos extremos

    • Tvz, por ter essa tendência ao drama q me é peculiar, eu tenha, no fundo, um medo do meio. De ali eu perder quem sou e tudo mais. Mas, quem sabe, não é lá q eu me ache, né?😉

  1. tô curiando seu blog faz dias… e tô gostando.

    vc escreve muito bem!

    tô me rendendo a um objetivo mais leve, preciso para o momento, de verdade.

    boa sorte aí no meio, deve ser um lugar aconchegante pra quem chega e consegue ficar. eu ainda não.

    beijosss

    • Oi, Iara! Q delícia q vc resolveu se revelar. Seja bem-vinda, hj e sempre! (quietinha ou revelada, como quiser!) Poisé, tb não consegui chegar ali no meio, onde o mundo parece fazer sentido e as coisas andam no compasso em q devem andar, sabe? Mas olha, prometo tentar e se chegar, mesmo q pertim, conto como foi! :*

  2. Oi rê! eu sei exatamente como é ser a dos extremos. E te falo, ainda sou. Pego tudo que eu gosto e preciso dentro dos meus extremos e faço o que dá, o possivel e me mantenho assim. Alguns me chamam de obcessiva, outros de determinada… o que vale é a maneira que você funciona.

    • Andréia, acho q esse é o problema hj: ser aquela dos extremos não tá funcionando pra mim. Quero dizer, em relação a alimentação, superfunciona. Se abro exceções, a coisa desanda. Mas se radicalizo, flui belezinha. Mas em relação a AF é sempre complicado. Vou naquela onda de ir além do 100% e infelizmente meu corpo não responde, sabe? Enfim, nesse assunto, preciso encontrar realmente o tal do ponto do equilíbrio pra não enlouquecer de vez!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s