Do começo

clear mind

Por onde começar? Talvez organizando as bagunças, mexendo nas gavetas, tirando o lixo, destralhando a vida. E não falo daquela que vivo aqui do lado de fora. Falo daquela que se passa bem aqui por dentro.

Na de fora, dei uma bela arrumada no primeiro dia do ano. Na de dentro, deixei que algumas coisas acontecessem acreditando que elas, por si só, ajeitariam tudo. Talvez aqui esteja o meu erro: coloquei minha esperança em algo que não era eu. Mais uma vez.

E não adianta: só eu tenho a capacidade, a probabilidade e a vontade necessária de fazer o que precisa ser feito. Só eu posso mudar o presente, fazer novas escolhas e seguir em frente. Só eu, enfim, posso organizar a casa e, se preciso, reconstruí-la.

Então, mãos à obra: é hora de abrir as gavetas, mexer nos ambientes, jogar fora a velha mobília. É hora, enfim, de fazer o ano acontecer. E é sempre aquela história: com os mesmos ingredientes, terei sempre a mesma receita. Por isso, nada melhor do que mexer no que tenho em mãos pra que o ano seja no mínimo surpreendente!

3 pensamentos sobre “Do começo

  1. Isso querida, se prepare pra ser o lar de novas histórias.
    Eu também preciso fazer a “primeira limpeza do ano”, ela e a ultima são sempre as mais importantes pra mim pois é minha época de maior reflexão.
    E esse ano como lição levo algo que talvez também te sirva: fazer o que está em meu poder sempre e o que não estiver, simplesmente deixar fluir.
    Quando a gente pira em estar no controle de tudo, até do que não pode ou joga todas as expectativas em algo que independe de nós o resultado sempre é desastroso. Viramos cacos emocionais ou começamos a nos focar apenas no que não podemos resolver e o que é de nosso poder nos escapa das mãos.
    Força nessa limpeza, é dela que virão os melhores frutos do ano.

    Beijo beijo

    • Ana, vc tocou no ponto chave: controle. Q necessidade besta é essa de ter tudo nas rédeas curtas, de dirigir tudo, de quem dá sempre a última palavra? O pior é q qndo a gente menos percebe, lá estamos nós (ou ao menos eu), sofrendo por conta disso. Até qndo? Eu sempre me pergunto…

  2. Linda Re, primeiro obrigada pelo apoio sempre.
    suas palavras são como pílulas mágicas para mim.

    Estou refazendo minhas auto-receitas também.🙂

    Beijo Grande!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s