50 anos em 5 ou quase isso

 

 

run

Não sou JK, mas a partir de amanhã começo uma maratona pra conseguir fazer muitas coisas em pouco tempo. Ainda não posso contar o motivo da correria, mas posso adiantar que preciso resolver várias pendências ainda no primeiro semestre.

A mais importante delas, claro, é finalizar meu processo de emagrecimento. Ainda não consegui chegar ao tão sonhado peso de 89kg e isso por minha inteira responsabilidade. Mas agora, muito mais do que chegar aos 89kg, eu preciso e vou chegar aos 79kg.

Falando honestamente, dá um certo aperto no coração porque terei pouco tempo para emagrecer mais ou menos 12kg. Mas olhando a trajetória da Ana, eu vejo que isso é completamente possível. Com foco, força e fé, chego lá.

O que preciso, pra isso, é estabelecer um plano de ação, respeitando meu corpo, meu tempo e minha rotina. Preciso colocar a cabeça pra trabalhar em meu favor e ir domando as emoções que teimam, muitas vezes, em me domar.

Sei que funciono na base do 8 ou 80, ou seja, preciso radicalizar pra que as coisas rolem. Também sei que, por conta do meu dia a dia, não funciono com mais de uma atividade diária porque isso me deixa extremamente cansada. Tendo isso em mente, vou estabelecer uma rotina de atividade física que me auxilie sem me estressar, sendo ainda mais radical com a alimentação (vou cortar de vez algumas coisas que, infelizmente, “ainda me permito”).

É como eu disse no último post: 2013 acaba de começar e começou com força total! 😉

E 2013 finalmente começou!

2013 1

Até ontem, 2012 parecia ter “garrado” um amor tão grande pela minha pessoa que não fazia qualquer questão de praticar o desapego. Só que hoje, 2013 chutou a porta e simplesmente anunciou que ele agora seria o dono do pedaço: recebi, por email, minha nota do TOEFL e o resultado é que consegui a pontuação que precisava!

A nota, em si, não muda nada. Há ainda outras etapas a serem vencidas até que o grande sonho se realize. Mas só de pensar que já virei essa página, que não terei mais que me preocupar com isso, já dá um alívio intenso.

Assim, como ontem, nada mudou. Assim, como ontem, tudo mudou!

Feliz 2013!

Quando nada muda

mudança

Minhas duas últimas semanas foram bastante tensas, pra dizer o mínimo. Ansiedades mil por conta de uma prova e muita pressão no trabalho. O resultado? Uma sensação de incapacidade e de torpor invadiu todo o meu ser, simplesmente me paralisando.

E essa paralisia, além das causas acima mencionadas, teve outra causa: a ideia de que em 2013 tudo seria diferente. Ou melhor, a ideia de que tudo se tornaria mais claro nesse novo ano. Só que, ao contrário do esperado, nada disso aconteceu. E uma névoa densa, escura, tomou conta da minha vida.

Ou seja, nada mudou. Tudo continuou exatamente igual. O que antes era incerteza continuou incerto, o que antes era esperado continuou na lista de espera. 2012 resolveu se arrastar e tomar conta do meu 2013.

O pior é que eu também não mudei. Reagi como sempre a essa avalanche de expectativas frustradas: com insatisfação, ansiedade e chateação. E vivi as duas semanas mais nebulosas do meu incipiente 2013.

Até que me lembrei de que se nada muda, eu ao menos posso mudar. Se nada do lado de fora acontece, do lado de dentro ainda tenho o poder de fazer acontecer. E ontem, em meio a uma garoa fina, lá fui eu caminhar os 5km mais significativos da minha vida. Saí da toca e resolvi mexer naquilo que eu podia.

De ontem pra hoje, tudo continua igual: a névoa externa não dissipou. Tudo continua como antes. De ontem pra hoje, tudo mudou: do lado de dentro, posso ver, já brilha um tímido sol. Que vai esquentando e trazendo cor pra um coração que andava cansado de ser tão maltratado por mim mesma.

E talvez, esse seja mesmo o grande segredo: quando nada muda, talvez seja a hora da gente encarar a mudança mais importante, aquela que acontece dentro da gente. E, quem sabe, o sol que começa a brilhar do lado de dentro, se expande e começa a brilhar do lado de fora?

Quando nada muda, talvez o mundo esteja esperando que a mudança aconteça primeiro na gente pra que, assim, estejamos preparados pra que ele, o mundo, mude com a gente!

O que tenho a dizer

espelho

Dói, uma dor intensa e aguda. Do que eu podia ter sido e não fui.
Dói, uma dor intensa e profunda. Do que eu podia ter feito e não fiz.
Dói. E dói muito. E dói sempre. Angustiando a mente, dilacerando o coração.
Dói. E o corpo sente. E o corpo mente. E engana a gente.
Dói. No passado e no presente. E num futuro ainda ausente.
Dói. Com intensidade e profundidade. E tão ridiculamente, que chega a rimar.
Dói. De tal forma e de tal jeito, que nenhuma palavra consegue expressar.
Dói. Tão densamente que as lágrimas pesam e não consegue rolar.
Dói. Dói. Dói.
Dói simplesmente.

***

Muita coisa acontecendo e, ao mesmo tempo, nada de realmente relevante. Só uma angústia e uma tristeza no peito que não vão embora de jeito nenhum. Como esse não é um espaço pra mimimi, tenho pensado e repensado sobre o que postar e como postar. Mas, mesmo assim, resolvi colocar o texto acima que resume um pouco o nó na garganta que tem tomado conta de mim.

Vai passar, eu sei. Não há noite que dure, nem tempestades eternas. Mas, nesse momento, dói. E isso é tudo o que tenho a dizer.

Do começo

clear mind

Por onde começar? Talvez organizando as bagunças, mexendo nas gavetas, tirando o lixo, destralhando a vida. E não falo daquela que vivo aqui do lado de fora. Falo daquela que se passa bem aqui por dentro.

Na de fora, dei uma bela arrumada no primeiro dia do ano. Na de dentro, deixei que algumas coisas acontecessem acreditando que elas, por si só, ajeitariam tudo. Talvez aqui esteja o meu erro: coloquei minha esperança em algo que não era eu. Mais uma vez.

E não adianta: só eu tenho a capacidade, a probabilidade e a vontade necessária de fazer o que precisa ser feito. Só eu posso mudar o presente, fazer novas escolhas e seguir em frente. Só eu, enfim, posso organizar a casa e, se preciso, reconstruí-la.

Então, mãos à obra: é hora de abrir as gavetas, mexer nos ambientes, jogar fora a velha mobília. É hora, enfim, de fazer o ano acontecer. E é sempre aquela história: com os mesmos ingredientes, terei sempre a mesma receita. Por isso, nada melhor do que mexer no que tenho em mãos pra que o ano seja no mínimo surpreendente!

Em busca da simplicidade

master

Se fosse simples seria menos gostoso? Talvez. Mas com certeza, se fosse simples seria menos doloroso.

E isso vale pra tudo na vida. Não, não estou reclamando. E antes que você venha me dizer a frase, eu mesma a coloco aqui: pode mesmo ser que a vida seja simples e a gente quem a complique. Agora responda sem titubear: você consegue não complicar?

Ainda não cheguei a essa fórmula. Por mais que tente, quando vejo, lá estou eu presa num emaranhado de pensamentos, sentimentos e outros que tais que me fazem sim perguntar: cadê a simplicidade?

No meu caso, a grande questão, pode ser a vontade de ter certeza. Sim, eu gostaria, ao menos uma vez, de saber que o que quer que seja é certo, garantido. Mas eu sei: não há garantias. A vida é caprichosa e simplesmente se recusa a oferecer qualquer certificado. Quando pedido, ela ri e diz: “La garantia soy yo!”

E de risada em risada eu sigo, confesso, sem entender quase nada. Buscando uma simplicidade que tenho pouca esperança de encontrar. Talvez, eu esteja procurando no lugar errado. Talvez ela seja apenas uma utopia.

Utopia que, caso algum dia seja encontrada, com certeza será fonte de alegria.

Em paz

“A paz invadiu o meu coração / De repente me encheu de paz” (A paz, Gilberto Gil)

Amanhã é o grande dia. Ou melhor, é oficialmente o último dia de 2012 por esse lados de cá. Explicando: faço o TOEFL e finalmente posso mudar o foco da vida, dos estudos, dos pensamentos. Enfim, de tudo.

Por incrível que pareça, por mais que a semana tenha começado tensa, ela está terminando tranquila, tranquila. Como disse hoje para o meu professor de inglês, vou fazer o meu melhor, esperar pelo pior e confiar em Deus.

E tem como não me encher de paz tendo essa expectativa?

Outra coisa que acredito que ajudou foi a volta à nutri combinada à presença da minha mãe em casa (ela mora em outra cidade). O fato de saber que terei que novamente prestar contas da alimentação e de ter uma dieta nova essa semana, me motivou bastante. E, com minha mãe aqui, tenho comidinha feita em casa e exatamente como orientado pela nutri!

Repito a pergunta: tem como não me encher de paz com algo assim?

Posso dizer que meu maior desejo é que amanhã chegue logo, passe logo e que finalmente 2013 comece. Tou prontinha (e cheia de paz) o esperando! 😉