Dos nossos medos mais profundos

Você já se perguntou do que tem medo? Quais são seu maiores temores? Do que você tem pavor? Não estou falando de baratas, insetos voadores ou mesmo de borboletas pretas imensas (sim, eu tenho medo de tudo isso!). Estou falando daquilo que, de certa forma, te paralisa e não permite que você avance.

Muitos têm medo do desconhecido, da morte, de situações inesperadas. Muitos têm pavor de perder alguém ou de ter uma doença incurável. Outros, temem perder o que tem (materialmente falando). E, claro, tem aqueles que têm medo de que as coisas nunca aconteçam pra eles.

Só que essa semana, mais especificamente ontem, fui surpreendida com uma revelação que mexeu e ainda tem mexido muito comigo: a maior parte de nós tem mais medo de crescer, avançar, fazer sucesso, brilhar, enfim, do que ser um completo fracasso.

Isso mesmo. O que muitas vezes nos amedronta não é o fato de sermos incapazes ou inadequados. Pelo contrário, o que tantas vezes nos paralisa é o fato de sermos bons o bastante, de sermos dignos de algo, de sermos capazes de fazer e ir além.

Antes que você atire a primeira pedra, pare e pense em qualquer situação em que você sabia que era capaz, em que sabia que tinha chance de se destacar mas, sabe-se lá por quê, você simplesmente paralisou. O suor frio desceu, a cabeça rodou e, se não perdeu a oportunidade, você quase o fez. Medo. Não de não conseguir. Mas de conseguir e de ser capaz.

Daí nasce a auto-sabotagem, de que eu tanto falo aqui. E foi isso o que mexeu tanto comigo. Muitas vezes ela é fruto da minha quase certeza de que eu sou sim capaz. De que eu posso sim. Mas antes de conseguir, eu mesma puxo o meu tapete. Afinal, quem sou eu pra pensar que consigo?

Quem eu sou? Alguém extremamente capaz e criado com um propósito. Um propósito maior que eu e até mesmo que você. E eu não sou a única, acredite. Você também foi criado com um. Fomos, todos, criados para brilhar. Brilhar como estrelas no céu.

Pena que temos medo. Medo de brilhar. Medo de nos destacar e, com isso, deixar os outros à nossa volta na escuridão. Mas isso, acredite, é uma imensa bobagem. Quando eu brilho, eu não o ofusco. Eu o estimulo a fazer o mesmo.

Então, que tal deixar os seus medos pelo caminho e correr atrás do que você foi feito pra fazer? Você foi feito pra brilhar!

“O nosso medo mais profundo não é que nós sejamos inadequados. O nosso medo mais profundo é de que sejamos poderosos além de qualquer medida. É a nossa luz, não a nossa escuridão que mais nos amedronta.

Nós nos perguntamos, Quem sou eu para ser brilhante, lindo, talentoso, fabuloso? Na verdade, quem é você para não ser? (…) Se diminuir não ajuda o mundo. Não tem nada de bom em você se diminuir  para que outras pessoas não se sintam inseguras perto de você. Todos somos feitos para brilhar, como as crianças brilham. (…) Não está só em alguns de nós, está em todos nós.

Quando deixamos a nossa própria luz brilhar, nós inconscientemente damos a outras pessoas permissão para fazer o mesmo. Quando nos liberamos do nosso próprio medo, a nossa presença automaticamente liberta outros.”

Marianne Williamson

2 pensamentos sobre “Dos nossos medos mais profundos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s