Doses extras de inspiração

Acho que já disse aqui, mas não custa repetir: sou extremamente fã do Leo Babauta, responsável pelo Zen Habits. Talvez porque ele fale de assuntos que estão, há algum tempo, na pauta do meu dia (vida saudável, organização, planejamento, exercícios, simplicidade, desapego). Talvez porque ele fale desse assuntos de uma maneira tão prática e tão direta, que é impossível não sentir vontade de seguir as sugestões que ele dá por lá.

Pois bem, vocês têm acompanhado, nesses últimos dias, minha angústia com a reeducação alimentar e com a falta de resultados balancísticos aparentes. O fato é que a balança não cede e, ansiosa que sou, fico extremamente frustrada com isso. Só que ontem, ao ler esse post aqui do Leo, percebi que na verdade estou com o foco direcionado para o lado errado. Ou melhor, estou com a vida toda focada numa coisa só.

Não sei se você sofre disso, mas eu sofro. Quando algo é realmente importante pra mim, necessário, algo que desejo muito, tendo a tornar isso o foco da minha vida. E passo a orbitar em torno do que desejo, deixando todo o resto na periferia do meu olhar.

E o que acontece quando toda a vida gira em torno de um único ponto focal? Se algo acontece de errado com esse pontinho, todo o resto desanda. Tudo o mais fica sem importância e você se esforça, você corre, você cansa, tentando manter o equilíbrio do tal ponto vital. É, porque é isso que aquilo se torna, um ponto vital.

Nos últimos tempos, minha dieta tem se tornado meu ponto vital. Tenho feito minha vida inteira girar em torno dela. Com isso, tudo o mais perde a cor e a graça. E, no final das contas, até mesmo a reeducação alimentar se torna cansativa e enfadonha.

E é aqui que o post do Zen Habits entra: preciso, urgentemente, procurar aquilo que me inspira. Aquilo que faz meus olhos brilharem e borboletas voarem dentro de mim. Preciso, urgentemente, me inspirar pra, com isso, ampliar o foco e colocar a reeducação como parte da minha vida, não como toda ela. Preciso, enfim, inspirar novos ares.

Antes que você balance a cabeça e pense: “Tadinha dela”, gostaria de propor um exercício. Que tal olhar bem dentro de você e ver se sua vida também não está girando em torno de uma única coisa? Talvez um relacionamento. Talvez seu emprego. Talvez um sonho. Talvez um objetivo. Andar de carrossel é muito bom. Mas cansa. Especialmente quando a gente olha pro lado e enxerga que, além dele, existem muitos outros brinquedos!

Que tal começar a explorar todo o parque de diversões? Vou começar a fazer isso agora mesmo!

 

Anúncios

9 pensamentos sobre “Doses extras de inspiração

  1. Rê, adorei seu post. Há um tempo atrás eu cheguei na terapia totalmente em crise. Tinha abandonado algo que havia se tornado o centro da minha vida e me sentia órfã. Não sabia dizer quem eu era, como queria viver e quais eram meus objetivos de vida. Com muito custo descobri que me verticalizar no que quer que seja não era saudável. Que somos, todos, seres múltiplos e com uma riqueza interior muito grande. Abandonar tudo em favor de uma coisa só é perder muito dessa riqueza e renunciar à multiplicidade de alegrias que a vida tem a oferecer.

    Em relação especificamente ao tema que você comenta – dieta – devo dizer que estamos em sintonia novamente. Comecei a reparar que esse assunto estava dominando demais meus pensamentos e meu cotidiano. E isso começou a me incomodar. Afinal, eu não sou apenas uma mulher de dieta, certo? Sou uma mulher, cheio de interesses, que por acaso está fazendo dieta nesse momento. Decidir fazer uma correção na forma como estou caminhando e acho que agora estou mais leve, menos neurótica, mas igualmente desejosa de manter uma vida saudável.

    Beijos, querida.

    • Rê, enquanto escrevia, fiquei me lembrando de vc, da Leila, do ponto e do círculo. E do tanto q tenho feito algo q não é verdadeiramente o meu centro se tornar o meu único ponto focal.
      Depois do post de hj, já tomei algumas medidas q podem parecer bobas mas q vão me ajudar nessa retomada do foco: cancelei minha participação no grupo de pessoas q estão passando por RA no FB pq, queira eu ou não, eu estava sempre por lá, girando em torno desse assunto.
      Outra coisa q fiz, com muito cuidado, foi comer uma broa no meio da manhã. Tive vontade e me dei esse direito. Apenas simplesmente não comi o lanche da manhã e tirei o carboidrato do almoço, pra compensar.
      Ainda preciso descobrir outras formas práticas de sair do carrossel, mas ficar o tempo todo nele tem me tirado, inclusive, alguns prazeres, como o da corrida. 😦
      Enfim, é aquilo q vira e mexe a gente fala: alcançar o equilíbrio nem sempre é fácil. Mas é extramente necessário. E saudável!
      Bju!

      • Que bom que você está buscando retomar o domínio da sua vida e rotina, querida. Porque quando a gente começa a orbitar em volta do que quer que seja, sinto como se nos perdêssemos mesmo. A Leila fala disso quando explica a ideia do ponto e do círculo e diz algo interessante: o que fazemos tem que estar ligado ao nosso centro. Não podemos viver só no círculo (que é o exterior) senão vamos nos perder.

        Fico de cá, torcendo e caminhando junto, que minha busca é igual a sua: uma vida mais leve, divertida, prazerosa e minha.

        Beijos!

      • Exatamente! Deixemos o círculo em seu lugar e nos ocupemos com o centro. E simbora atrás de uma vida cada vez mais leve, né? :*

  2. O que eu gosto no Zen Habits é o quanto os textos dele são aplicáveis à nossa vida cotidiana, né? É tudo tão simples e tão possível… =)
    Sobre o seu post, me lembrou um pouco uma ministração que ouvi certa vez sobre idolatria e como ela entra na nossa vida sem percebermos, pq não tem uma “cara ruim”, mto pelo contrário, tem uma aparência boa pq vem em forma de sonhos, desejos, metas, coisas bacanas que nos impulsionam, nos dão vigor, mas aos poucos ganham uma dimensão tão grande que tomam conta de tudo, controlam tudo, até percebermos que aquilo que tornou-se o centro precisa ser revisto e recolocado no lugar.
    É como uma árvore que nos preocupamos muito em regar as raízes para que ela cresça forte, centralizamos nossa atenção e esforço na raiz e desviamos a atenção dos frutos saudáveis que estão sendo dados, sinal de que a árvore está bem alimentada e a água usada para regá-la, se for em excesso, vai apodrecer a raiz.

    (no meu email vc vai entender essa coisa da árvore, rs)

    Amour,
    Caty.

    P.s: minha bolinha aí do lado já tem uma fotinho, ê! \o/

    • Caty, q delícia de comentário. E vc tem toda razão. Sem medo de errar, posso dizer q estava sim idolatrando a dieta e tudo o q a envolve. Assim, chegou a hora de desfazer o altar de quem não merece, né? :*

  3. E vc vai ver, qdo a gente muda o foco, diminui o peso e as coisas acontecem… Não que não estivessem acontecendo, mas fluem com mais leveza, pq a atenção foi dividida com outras coisas igualmente importantes. =)

    =*****

    • Pra q isso flua mesmo Caty, resolvi seguir a recomendação da nutri e fazer algo nunca antes imaginado: vou ficar 30 dias sem me pesar. Vou desfocar mesmo dessa coisa do peso e seguir em frente com a dieta e os exercícios. Vamos ver o q acontece em um mês, né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s