O anticaminho

Já imaginou quantos sonhos enterrados existem por aí? Quantos objetivos não alcançados, quantas metas não atingidas, quantos relacionamentos não consolidados? Quantos grandes projetos não saíram do papel, quantas grandes realizações não existiram? Quantos livros não foram escritos, músicas deixaram de ser compostas, filmes não filmados? Enfim, já parou pra pensar que talvez algo que realmente mudasse a vida de muita gente simplesmente ainda não aconteceu? E o motivo desses assassinatos de grandes potencialidades é um só: a desistência.

Mas você não precisa ir tão longe e muito menos pensar na coletividade. Pense em você. Olhe pra você. Será que algo que mudaria sua vida ou mesmo faria você um tiquim mais feliz simplesmente não aconteceu (ou ainda não aconteceu) porque você jogou a toalha, foi pro vestiário e resolveu não voltar pra jogar o segundo tempo?

Tudo bem que os primeiros minutos não foram nada animadores. Você não conseguiu tocar na bola, a marcação estava cerrada e o adversário conseguiu marcar uma quantidade de gols de envergonhar a história futebolística. Mas quem disse que, no segundo tempo, com “sangue nos olhos”, você não conseguiria mudar a história, marcar todos os gols necessários e sagrar-se campeão? Ou ao menos, quem sabe, você lutaria com afinco e, mesmo perdendo, sairia com um sorriso no rosto? Afinal, lutou até o fim. Mas infelizmente você nunca vai saber, afinal, jogou a toalha e desistiu do jogo antes do último apito.

É, meus amigos, enterramos, assassinamos ou eliminamos tantas coisas por não persistir. A desistência é o caminho natural e mais fácil. Você não precisa injetar energia pra que ela aconteça. Não precisa esforçar-se e muito menos empenhar-se. Basta decidir e pronto. Desistiu.

Já a persistência é o anticaminho, é o nadar contra a corrente, é o subir as corredeiras. Ela nos cansa, nos suga. Ela faz o suor brotar no rosto, o choro nos olhos, o palpitar no coração. Ela é o lutar contra a nossa vontade natural, contra os primeiros desejos. E, exatamente por isso, ela precisa ser consciente e deve ser, o tempo todo, reavaliada e reimplantada.

Se os caminhos são diferentes, os resultados também o são. Enquanto a desistência nos leva pro caminho óbvio, a persistência nos entrega um caminho surpreendente. Enquanto a desistência é aquilo que há de mais comum, a persistência é o assombro, o encantamento. O brilho nos olhos de quem sabe que, mesmo com um placar contrariamente arrasador no primeiro tempo, voltou pro segundo disposto a lutar. E, se possível, ganhar.

Se a vitória no jogo aconteceu ou não, são outros quinhentos. Mas a batalha pessoal, essa sim, foi vencida. Afinal, a persistência nos permite vencer nosso maior adversário: nós mesmos!

7 pensamentos sobre “O anticaminho

  1. Perfeito, como sempre.

    E realmente, somos o nosso mais forte adversário e por isso é tão prazeroso nos vencer e isso, é com certeza, uma escolha e luta diária.

    Beijoo!

  2. Precioso o seu post, Rê… E mto encorajador!
    Mtas vezes vivemos com a valentia de Davi procurando o Golias do lado de fora, mas qtas vezes o Golias somos nós mesmos, né?
    Mais do que “reavaliada e reimplantada”, como vc bem falou, acho que a persistência precisa ser redescoberta todos os dias. Embora a força vital que nos move e nos faz prosseguir não dependa unicamente da força do nosso braço (pelo menos eu acredito nisso), precisamos redescobrir diariamente a força que temos, que nos foi dada e garantida por Deus, mas que Ele não fará aquilo que foi imputado pra NÓS fazermos. Os empurrões são sempre Dele, mas os esforços têm que ser nossos. =)

    Beeeeijo! =***

    • Caty, o bom é saber q qndo nossas forças se acabam ainda temos forças exteriores e superiores com quem contar. Tou num dia assim: caminhando por um fio, torcendo pra q acabe logo, orando MUITO e dizendo pra mim mesma: não desista, não desista! 😦

  3. Rê, querida, te entendo muito… =/
    Tem dias que são assim mesmo, a gente se sente numa corda bamba prestes a cair… Mas tente lembrar que nesses dias em que estamos fracos é que somos fortes, não por causa força que realmente temos, mas pq existe Alguém mais forte que nós nos segurando o tempo todo, não importa quão fino seja o fio ou quão bamba seja a corda.

    Abraço bem forte pra tu! E a certeza da minha oração por vc sempre! =***

  4. Olá, boa noite. Hoje escrevi algo inspirado pelo infinito, e agora, depois de escrito e publicado, resolvi procurar se algum louco como eu havia já pensado no anticaminho. Coloquei a palavra no oráculo google e encontrei isso aqui, e gostei, principalmente da sincronia que a cyber rede nos leva. O poder do raio, do fogo me trouxe aqui, e deixo o que risquei em sincronia contigo, são complementos, um anticamnho de um caminho que se encontra.

    Obrigado!

    Fica aqui meu post:

    http://inconfidenciaguerreira.blogspot.com.br/2013/11/o-anticaminho-que-conduz-liberdade.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s