Uma dose extra de leveza

Ontem, depois de uma conversa deliciosa com a Paula, cheguei em casa com uma decisão em mente: preciso colocar uma dose extra de leveza em algumas áreas da minha vida. E isso, pra já.

Como eu brinco com algumas pessoas (e já disse isso bem aqui), sou do tipo de gente que já nasceu velha. E, exatamente por isso, tendo a levar tudo muito a sério, tendo a ter muita responsabilidade em tudo o que faço. Não que isso seja de todo ruim, claro. Mas vamos combinar que, às vezes, é preciso soltar o nó da gravata e simplesmente tomar um belo sorvete no meio da tarde, né?

Excesso de responsabilidade esconde um mal muito maior, ao menos no meu caso. E o nome dele é perfeccionismo. Querer fazer bem algo é natural e saudável. Querer fazer exageradamente bem, se cobrando o tempo todo por isso, é perigoso e pode se tornar patológico. Antes que você já me olhe torto, não sou daquelas pessoas que numa entrevista de emprego diz que seu pior defeito é o perfeccionismo achando que está abafando. Nada disso. Sou do tipo que, nesse momento, olha pra si mesma e percebe que o perfeccionismo é algo que a está sufocando e massacrando.

Me cobro demais. Sou, definitivamente, minha pior carrasca. Preciso ter os melhores resultados (daí minha frustração com a balança no retorno à nutri), o melhor desempenho. Preciso ser a aluna mais estrelada. E isso, desde que entrei na escola, aos seis anos de idade. Agora você consegue imaginar como fico até alcançar o que me imponho? Com a ansiedade nas alturas! E o que acontece quando algo não sai como esperado? Eu me frustro na mesma medida!

Só que chega uma hora, como agora, que esse ciclo vicioso cansa. Ter que corresponder às minhas mais altas expectativas me suga MUITA energia e me deixa, tantas vezes, exausta. Então, por que não tentar uma saída alternativa?

Claro que algo que construí minha vida toda não vai simplesmente desaparecer de uma hora pra outra. Por isso, escolhi uma determinada área  como praça-teste. Vou aplicar nela aquilo que acho que pode dar certo. Vou tentar fazer dela meu ponto de leveza. E, se funcionar, vou estendendo para as demais áreas. Começo já!

Se quiser aderir a essa campanha em prol da leveza, seja bem-vindo! E vamo que vamo que a leveza nos espera!

***

UPDATE: Depois de escrever esse post, fiquei pensando se não estava me expondo demais. E, sinceramente, pela primeira vez desde que comecei o blog, me senti extremamente vulnerável. Falei de algo aqui que poucas pessoas sabem (por mais que a maioria que me conhece com certeza já imaginava). Fiquei em dúvida se mesmo assim divulgava o que escrevi. E divulguei. E, ao ver o vídeo abaixo, tive a certeza de que fiz a melhor escolha!

Anúncios

8 pensamentos sobre “Uma dose extra de leveza

  1. Nossas conversas sempre me deixam algo imprescindível pra continuar a partir daquele momento, sabia? Também fiquei pensando sobre tirar um pouco o peso das coisas… então estou aderindo à campanha a favor da leveza!! Rs!
    Adorei a expressão “ressaca de vulnerabilidade” que ela usou no vídeo, já passei por isso também. Mas pra que todo esse medo de como estão nos vendo,né? A próxima campanha vai ser contra o medo (essa sim é minha maior luta!), rs.

    Beijo!

    • Contra o medo ou contra a vergonha? Vai ser páreo duro! rs… Terminei o vídeo pensando em como a gente é besta de querer ser forte o tempo todo, de querer ser o melhor o tempo todo, de fazer tudo certo o tempo o tempo todo. E não apenas de fazer isso como impor isso ao outro o tempo todo. Fracassos fazem parte (e são importantes). Só q, pra aceitá-los, a gente precisa de mais leveza! Então, simbora correr atrás de ser cada vez mais leve! 😉

  2. Tb adorei o post e já tô na meta faz tempo, nem ligo mais qdo algumas pessoas me acham alienada ou superficial, pois só eu sei a que preço tenho conquistado essa leveza e o bem que ela tem me feito! =)
    Conhece a maluca beleza? o/ kkkkkkkkkk
    “A vida não precisa ser levada tão a sério. Sorria e acene.” É uma amiga minha que sempre diz isso, acho que é por aí, rs.

    Bjocas! =***

    • Caty, exatamente! 🙂 E engraçado como a nossa leveza incomoda aqueles q andam pesado, né? Pena! Pq se todo mundo entrasse na onda, o mundo, com certeza, seria BEM mais tranquilo…

  3. Rê, eu acho que tenho um dom especial pra incomodar os outros, kkkkkkkkkkkk.
    A minha leveza incomoda, o meu Jesus incomoda, as minhas opiniões nem se fala! kkkkkkkkkkkkk
    Mas tudo bem, não ligo mais. Nada como 5 anos de terapia e muita oração pra fortalecer a gente, né? =)

    Bjosss =***

    • Caty, sobre isso, li esse texto aqui q achei BEM bacana: http://alexcastro.com.br/a-dor-da-escolha/ – infelizmente qndo algo nos incomoda (pelo menos percebo isso comigo), a gente tem q ver o q realmente está acontecendo. Pq geralmente o q nos incomoda no outro é algo q devemos mudar em nós. Ou seja, esse pessoal q se incomoda com sua leveza, com suas opiniões, muito provavelmente, devia tomar as atitudes q vc tomou mas, como não faz isso, fica se incomodando por vc ter feito e estar bem! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s