Abrigo

Não vou ficar de mimimi, mas tem sim muita coisa acontecendo por essas bandas. Muita coisa acontecendo fora de mim mas muita, muita mesmo, rolando bem aqui dentro. E quando esse turbilhão se une a um cansaço monstro, ligo as luzes vermelhas. Fico mais sensível, mais susceptível a machucados e arranhões, mais perto do pé na jaca na reeducação alimentar e ainda mais inclinada a colocar meus óculos cinzas. Pra que isso não aconteça, tenho tentado respirar fundo. E tenho orado muito, muito mesmo, o que tem feito toda a diferença.

Diante de tudo isso, confesso, a vontade de escrever simplesmente desapareceu. Sei que já disse uma vez, bem aqui, que quando o coração aperta, eu choro palavra. Só que nesses últimos dias, tenho tido a sensação de que preciso recolher minhas gotas só pra mim. Assim, tenho desejado apenas um lugar pra ficar quietinha, esperando o furacão passar.

Antes que vocês se preocupem, tá tudo bem. É, por mais estranho que possa parecer. Não são só coisas ruins que tem pintado por esse lado. Tem muita coisa boa, muita surpresa. Só que pra receber tudo isso, tenho precisado de uma arrumação monstra do lado de dentro e isso sim tem tomado tempo. E muita, muita reflexão.

Enfim, não se assustem com as poucas palavras (ou até o silêncio) dos próximos dias. Estou em obras! 😉

Sonhe mais um sonho

Tou corrida. Muito. On e off trabalho. Minha vida essa semana promete e, apesar de muitas ideias, de muito o que dizer, passei apenas pra suplicar: ouse sonhar mais um sonho. É. Ouse. Hoje em dia o que mais vemos por aí são destruidores de sonhos. Pessoas que têm o estranho prazer de dizer que não vai dar, que não vamos conseguir. Por conta delas, acabamos nos acuando e vamos perdendo nossa capacidade de ir além. Por isso, fica aqui a minha súplica: sonhe mais um sonho. Dê de ombros pra quem deseja te aprisionar no mundo do “não consigo”. Abra as asas e voe. E descubra que além das nuvens, existe um céu imenso a ser desvendado!

Saia do comum

Já tinha um texto prontim pra hoje, que surgiu de uma discussão muito bacana no Facebook, quando meu coração me pediu outra coisa. Pediu pra eu deixar o texto pronto pra outra data e escrever sobre algo que tem mexido comigo: sair do comum.

E quem me inspirou, nesse sentido, foi esse texto aqui do Lucas, meu irmão. Tendo como início de conversa a campanha da TNG, #EuSaiodoComum, ele escreve um texto intrigante que nos instiga mesmo a sair do comum.

Mas daí, fiquei pensando com meus botões: o que vem a ser sair do comum? Pra descobrir isso, creio que precisamos ir ao início de tudo: o que é comum (já que pretendemos sair dele, precisamos conhecê-lo)?  Pesquisando no Houaiss, alguns dos significados que encontrei para a palavra comum é “aquilo que é usual ou habitual”.

Claro que ainda existem outros significados. Alguns deles, pejorativos, de acordo com o próprio dicionário. Entre eles, temos aquilo que não possui nenhuma elevação ou valor; reles, ordinário, insignificante.

Agora que sabemos o que chamar de comum, podemos elaborar melhor o que é sair do comum. Sair do comum, enfim, pode ser sair da rotina, daquilo que fazemos diariamente. Mas pode também significar deixar as coisas ordinárias e partir praquelas que realmente importam.

Ou seja, sair do comum é fazer diferente, focando naquilo que é realmente importante. E como aplicar isso ao dia a dia? Como fazer isso na prática? Algumas ideias simples (e até aparentemente banais), podem fazer toda a diferença. Quer ver? Você faz todo dia o mesmo trajeto pro trabalho? Que tal mudá-lo um pouquinho ou fazê-lo a pé ou de bike, se possível? Posso garantir, por experiência própria, que essa simples mudança faz com que nossos olhos se abram de uma maneira totalmente diferente praquilo que vemos todos os dias.

Que tal preparar uma surpresa pras pessoas que trabalham com você? Pra sua família, pro amor da sua vida? Que tal fazer o seu trabalho de uma maneira diferente? Que tal encarar o trânsito de uma maneira diferente? Sorria pro motorista ao seu lado, seja gentil, dê passagem. Faça algo que você não faz normalmente.

Que tal trocar os óculos? É, isso mesmo. Porque muitas vezes, sair do comum é simplesmente uma questão de olhar. Que tal pedir emprestado, pras crianças à sua volta, os óculos que elas usam pra se encantar, pra se assombrar, pra olhar tudo como se fosse a primeira vez?

Que tal, só pra fazer diferente, sonhar um pouco mais alto? Pensar um pouco maior? Ousar um pouco mais? Que tal, ao invés de pensar em desistir, persistir? Isso também é sair do comum. Afinal, o que mais vemos hoje em dia são pessoas cheias de potencial se apequenando, se diminuindo, se conformando.

E, quando a gente sai do comum, o resultado também é diferente. Pode parecer meio clichê, meio óbvio, mas vale a pena repetir: se você quer resultados diferentes, incomuns, precisa fazer diferente, precisa sair do comum!

Assim, que tal aderir à campanha #EuSaiodoComum / #EuFaçoDiferente? Talvez, mudando pequenas coisas em sua rotina, você terá como resultado grandes transformações!

Gente

Houve um tempo em que eu acreditei piamente que não me dava com os outros
Que eu mesma me bastava
Que tudo o que eu queria era simplesmente ficar na minha
Até que descobri que verdadeiramente não me conhecia
Porque, finalmente, percebi que eu gosto mesmo é de gente
Gente me encanta
Gente me apaixona
Gente me aflige
Gente me intimida
Gente me motiva
Gente me amedronta
Gente me dá esperança
Gente me dá aflição
Mas gente, acima de tudo, me faz querer ser mais gente
Me faz querer escrever todo dia
Me faz querer fazer da vida um presente
Me faz querer abraçar e chorar junto
Me faz querer chutar o balde
Me faz querer crescer
Me faz querer amadurecer
Me faz querer me conhecer
Me faz ser
Simples assim
Gente, enfim

Surpresas

Ontem me aconteceu algo surpreendente. Realmente surpreendente. Resumindo a situação, um dinheiro que acreditava ter perdido foi extornado pra minha conta. E eu, que acreditava que a quantia realmente tinha ido pro beleléu, fiquei o dia inteiro boquiaberta, com cara de: uau!

Engraçado o poder da surpresa em nossas vidas. A gente ganha um sorriso bobo no rosto, uma quentura no coração e um monte de borboletas na alma. O corpo parece ganhar asas e a mente acompanha o vôo, livre, leve e solta por aí. Somos, enfim, invadidos pela consciência do assombro.

Uma consciência que o ordinário, o comum, nos faz perder em meio a rotina. No dia a dia, somos levados a enxergar tudo da mesma forma, tudo pasteurizado, tudo em tons de cinza. Não há céu azul que nos encante, não há pássaros que chame nossa atenção. Não há cor que nos fisgue. Até que ela, dona surpresa, de repente aparece e nos tira do marasmo. E coloca, em nossos olhos, óculos de criança. E lá vamos nós ficar embasbacados, encantados, assombrados.

E não precisa ser uma surpresa gigante não. As pequenas surpresas também tem esse poder. Elas nos fazem parar, suspirar e nos assombrar. Mesmo que por um momento, eles nos fazem voltar a ser criança.

Diante disso, fiquei pensando em como cada um de nós pode levar o assombro a vida uns dos outros. Sim, porque também podemos surpreender. Podemos colocar pequenas surpresas no caminho daqueles que amamos, no caminho daqueles que nos cercam. E assistir, de camarote, o que só uma surpresa é capaz de fazer.

Assim, nessa semana, tenho como desafio surpreender alguém. Ainda não sei como. Nem sei ao certo o que fazer. Mas sei que quero levar até alguém a sensação de que sim, assombrar-se ainda é possível!

Despertar

Engraçado como tem épocas em nossas vidas em que parecemos estar dormindo. Ou, pior, muitas vezes passamos grande parte de nossos dias num estado tal de sonolência que não nos atentamos pra tantas coisas, que não aproveitamos tantas oportunidades.

Podemos até estar de olhos abertos, mas verdadeiramente não enxergamos o que está à nossa volta. Podemos até olhar várias vezes pra algo ou alguém, mas simplesmente não notamos aquilo que está à nossa frente.

Só que, num belo dia, simplesmente dizemos: acordei! Já parou pra pensar em quantas vezes você mesmo disse isso? A vida seguia seu rumo, as coisas caminhavam do jeito de sempre e, não mais que de repente, você simplesmente acorda do que parecia um sono profundo! E o que antes você não conseguia perceber, fica exageradamente claro pra você.

E você finalmente muda de emprego. Sai daquele relacionamento. Encara a dieta e começa a atividade física. Corta o cabelo. Muda o estilo de roupa. Resolve fazer alguma coisa diante de algumas mazelas que encontra pelo caminho. Começa a ler livros que nunca imaginou que leria. Começa a se envolver em projetos diferentes, que o motivam. Vai ao cinema. Se cerca de amigos. Você acorda, enfim.

Tal qual a Bela Adormecida, você percebe que esteve tanto tempo em um sono profundo que deixou passar inúmeras oportunidades, diversas chances. Você olha em volta e enxerga um mundo novo, pronto a ser desvendado. Um mundo que, na verdade, sempre esteve ali. Só que você, por estar adormecido, não conseguia ver.

Independente de há quanto tempo você esteja adormecido ou mesmo de qual sonífero você andou tomando, tenha certeza: estar desperto é muito mais interessante! Claro, traz algumas complicações, outras tantas dificuldades, mas permite que você viva intensamente a sua vida, sem perder nenhum detalhe.

Assim, que tal essa semana, abrir os olhos pro mundo, sair da cama e encarar tudo aquilo que o mundo tem a oferecer? Vai valer a pena e você vai se surpreender!