De volta ao essencial

Tenho refletido muito sobre aquilo que acho essencial. Algumas dessas reflexões você acompanha por aqui, como a questão de ser menos consumista e não comprar nenhuma bolsa esse ano, a importância de incentivar as pessoas a usarem o seu potencial, a necessidade de reclamar menos e agir mais.

Agora pare e pense um pouquinho você também: pra você, o que é realmente essencial? Responder a essa pergunta pode ser bem simples. Mas, depois de respondida, olhe para a sua vida e veja se ela tem refletido aquilo que é essencial pra você. Na maior parte das vezes, se formos bastante honestos conosco mesmos, perceberemos que somos seres bem incoerentes.

Se você perguntar a um pai ou mesmo a uma mãe o que é essencial para ele/ela, entre algumas possibilidades, você ouvirá que passar tempo com os filhos reflete essa ideia. Agora pergunte quanto tempo do dia ele/ela gasta com as crianças e não se surpreenda se a resposta for muito pouco tempo!

Continue com o perguntador aberto e questione seus colegas de trabalho sobre o que é essencial pra eles. Alguns muito provavelmente dirão que ter uma vida saudável é algo essencial. Agora pergunte o que eles fazem para que isso se torne uma realidade. Ou melhor, pergunte se vão a academia com frequência, se tem uma rotina de sono estabelecida, se não exageram nas horas de trabalho. Muito provavelmente, você já sabe a resposta: poucos dirão que efetivamente tem buscado aquilo que disseram ser essencial.

Será que o que dizemos ser essencial realmente o é? E se for, por que será que não colocamos isso na nossa pauta do dia? Rotina, disciplina. Duas palavrinhas que você sempre vai encontrar nos meus textos. Duas palavrinhas que eu abominei durante muitos anos da minha vida mas que descobri serem chaves para que as coisas realmente aconteçam em nós e através de nós.

Pegue um papel e escreva aquilo que realmente é essencial pra você. Lembrando que, de acordo com o Dicionário Houaiss, essencial é, entre outras coisas, aquilo que nos é indispensável. Pense naquelas coisas, naqueles conceitos, naquelas ideias, naqueles valores sem os quais você não pode viver. Depois, num outro papel, tente colocar o seu dia. Ou melhor, tudo aquilo que você faz no dia. Agora coloque as duas listas lado a lado. A primeira lista está inclusa na segunda? Ou melhor, a segunda reflete aquilo que você escreveu na primeira?

Muita gente (eu inclusa) vai colocar na primeira lista que o seu relacionamento com Deus é algo essencial. Agora, olhando pra segunda lista, também vai perceber que tem feito muito pouco pra refletir isso. E como mudar essa situação? Com rotina e disciplina! Tire um tempo para você e Deus. Pegue a bíblia guardada na gaveta e dê uma bela lida. Depois, nada melhor do que um bate papo com o Criador. E não se surpreenda se aquilo que estava programado para durar alguns minutos durar horas. Não existe nada melhor do que conversar com a pessoa que mais conhece você!

Quando sabemos claramente aquilo que nos é essencial, conseguimos programar nossas atividades em torno disso. Simplificando o nosso dia a dia e aumentando nosso senso de realização. Afinal, vamos realizando aquilo para o qual fomos criados.

E aí, simbora voltar pro essencial?

Anúncios

2 pensamentos sobre “De volta ao essencial

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s